domingo, 11 de maio de 2008

Os Problemas Sócio-Ambientais Urbanos

Os problemas sócio-ambientais urbanos são, na maioria, interdependentes e, de forma geral, surgem quase sempre em decorrência dos fatores econômicos que refletem diretamente no poder aquisitivo da população.

Durante décadas, a poluição industrial foi a maior responsável pela má qualidade do ar nas grandes cidades. Hoje, os piores vilões são as linhas de transportes rodoviários, principalmente os automóveis. Cerca de 73% de toda poluição atmosférica urbana são causadas por eles; 10% vem das indústrias e 17% de fontes poluidoras diversas.

As Cidades mais Poluídas do Mundo e que sofrem muito com isso são: Atenas (na Grécia), Buenos Aires (na Argentina), Cidade do México (no México), Calcutá (na Índia), Londres (na Inglaterra), Moscou (na Rússia), Los Angeles e Nova Iorque (nos EUA), Rio de Janeiro e São Paulo (Brasil), Seul (na Coréia do Sul), Tóquio (no Japão) e Xangai (na China).

Os problemas ambientais no espaço urbano ocorrem pela falta de planejamento público e pelos contrastes sociais gerados pela má distribuição de renda, especialmente nos países subdesenvolvidos. Esses dois fatores associados à urbanização acelerada e à especulação imobiliária geram cidades com graves problemas sociais e ambientais. Os países desenvolvidos (ricos ou centrais) não estão excluídos desses problemas, mas, tem intensidade muito menor, quando são comparados aos países pobres (subdesenvolvidos ou periféricos).

Entre os principais dramas vividos pela populações que habitam as grandes cidades e que tem raízes na degradação e alteração do meio ambiente é válido citar:

O Lixo - O Espaço está Acabando

Nova Iorque, Toronto, São Paulo, Rio de Janeiro, Recife e Salvador vivem a mesma situação: praticamente não tem mais onde depositar o lixo que seus cidadãos produzem. O aumento de renda ocasionado pelo plano real criou um defeito direto na quantidade de detritos acumulados pelos brasileiros.

As pessoas compraram mais e substituíram artigos a granel por itens embalados: cresceu 25% a produção per capita. O problema é que os paulistas geram tanto lixo quanto os nova-iorquinos, porém os gastos públicos aqui são muito menores. Para armazenar sua lixarada, Nova Iorque fechou um com trato com algumas cidades vizinhas. Paga 15 bilhões de reais por ano para que outros municípios a ajudem a se livrar do problema.

No Brasil, não é exagero dizer que as pessoas estão patinando em lixo. Quase 30% dos detritos produzidos nas residências não são coletados – parte se acumula nas ruas e nos terrenos vazios; outra parte é levada pelas águas e acaba em rios e represas (...). A Europa enfrentou o problema a alguns anos. Os cidadãos foram chamados a produzir menos sujeira e tiveram de pagar mais impostos para que ela fosse recolhida. Por aqui ainda se empurra o lixo com a barriga. A título de exemplo, no Brasil, 30% do lixo dos domicílios não é recolhido pela prefeitura e permanece jogado na rua. A quantidade não coletada em um ano seria suficiente para fazer uma pilha com a dimensão aproximada do pão de açúcar, no Rio de Janeiro.

A ocupação do Espaço Urbano – Impactos na natureza:

Ocorreu de forma desorganizada e rápida nos países subdesenvolvidos. Devido à falta de planejamento urbano, ao desemprego e baixo poder aquisitivo dos habitantes que constituem principalmente a população das grandes cidades, algumas áreas irregulares e impróprias como morros, encostas, várzeas (o mesmo que fundos de vale), mangues, margens de rios e mananciais são ocupados, obviamente, de forma desorganizada e sem nenhuma infra-estrutura, poluindo os mananciais (o mesmo que as fontes de água) e dando origem as favelas e cortiços.

Essa população, além de ocupar as piores áreas e se ressentir da falta de serviços básicos como esgoto, água tratada, coleta de lixo, etc. Acaba sendo vítima, não raro, das enchentes e dos deslizamentos das encostas.

A especulação imobiliária que transforma o lote urbano em uma mercadoria muito cara e inacessível para muitas pessoas, empurra a população mais pobre cada vez mais para as áreas desvalorizadas da periferia e para os conjuntos habitacionais construídos pelo Estado. A população que não tem nenhuma perspectiva econômica de possuir (comprar) uma moradia digna acaba morando na rua ou encontrando solução ocupando terrenos públicos e áreas debaixo de pontes e viadutos onde constrói barracos formando mais favelas.

A forma de ocupação do solo urbano imprime na paisagem, principalmente das cidades dos países subdesenvolvidos e também de algumas dos países centrais, contrastes entre o moderno e o antigo, entre áreas ricas, planejadas com edifícios, condomínios fechados e shoppings e áreas pobres, de ocupação irregular e desordenada. Esse contraste evidencia, claramente, a segregação (separação) no espaço geográfico urbano e muitas vezes, até étnica.

As desigualdades sociais, muito acentuadas nos países subdesenvolvidos, estão nitidamente registradas na paisagem urbana. Na foto, vista da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro.

A Falta de saneamento básico é outra carência que causa grande impacto na natureza e também é prejudicial a população que moram nos grandes centros urbanos (e no espaço rural também, é lógico!). É um serviço essencial, pois dele depende a higiene e saúde da população. Refere-se ao fornecimento de água tratada (potável) à população e ao tratamento de esgoto e do lixo. A falta desses serviços pode acarretar elevadas taxas de mortalidade infantil, inúmeras doenças, contaminação dos rios e do lençol freático. Os desperdícios de materiais, os produtos descartáveis, o crescimento econômico e o incentivo ao consumo, que chega a ser exagerado, são as principais causas da enorme quantidade de lixo produzido atualmente. Cada cidadão norte-americano produz, em média, 725 quilos de lixo atualmente. O destino do lixo produzido nas cidades é uma das maiores preocupações de seus governantes. A coleta seletiva e a reciclagem constituem uma saída, mas ainda são insignificantes quando comparadas ao lixo produzido, chegando a atingir 50% do total, entre os países que mais reciclam, como, por exemplo, o Japão. O texto complementar a seguir da idéia da gravidade do problema do lixo.

As capitais estão doentes

Nos países centrais, as grandes cidades perderam indústrias, e com elas, muitos moradores foram embora. Em compensação ganharam parques, mais áreas verdes e se tornaram cidades agradáveis para os habitantes que ficaram e cartões de visita para quem esta de fora. Paris, Berlim, Londres e Nova Iorque já foram semelhantes às cidades brasileiras: superlotadas, sujas e ruins para se viver. A diferença é que seus governantes acordaram e colocaram ordem na casa. Quase todas as capitais brasileiras estão na contramão. Na última década São Paulo perdeu e indústrias e, pela primeira vez na história, começou a se esvaziar. Infelizmente a cidade também perdeu um terço da área verde e muitos parques e praças deram lugar a terminais de ônibus e outros equipamentos públicos.

Segundo os urbanistas, as capitais brasileiras estão entre as mais caóticas do mundo. ”São mares de casa” (...) O transito não anda, as paredes e os monumentos públicos são emporcalhados por pichações, falta áreas públicas de lazer e as pessoas vivem amontoadas. É um desafio que parece grande demais para qualquer administrador. Entretanto, os especialistas apontam algumas saídas. Segundo eles, é necessário atacar em duas frentes. Primeiro, os prefeitos precisam encarar a administração com rigor cientifico. Nas capitais de países ricos, cada nova linha de ônibus é detalhadamente examinada. Sabe-se que a instalação de um terminal de transporte num bairro afastado pode atrair moradores rapidamente para regiões que não estão preparadas para recebê-los.

O segundo aspecto, na opinião dos especialistas, é que é indispensável atacar problemas que parecem menores. No Brasil, as maiorias dos prefeitos e das câmaras municipais ignoram ou aparentemente não se importam como uma de suas principais atribuições, que é dedicar-se a regular ocupação do espaço urbano e cuidar das cidades. Aqui, os administradores preferem abordar grandes temas, como saúde, emprego, criminalidade e educação, contudo não percebem a atuação de atuar em outras frentes, mais simples. Boa parte do programa bem sucedido de combate a criminalidade em Nova Iorque estava baseada na construção de quadras de esporte para ocupar os jovens e na limpeza e iluminação de becos, a fim de criar um ambiente menos favorável para os marginais.

Por outro lado as favelas e a periferia de São Paulo, Recife, Vitória e Rio de Janeiro se parecem com trincheiras. Em muitas é difícil até caminhar. A recuperação paisagística de Barcelona colocou a cidade na rota internacional do Turismo e gerou milhões de empregos. (...)

15 comentários:

Anônimo disse...

Centro Educacional 5 De Julho
Aluna:Késia Moreira Da Cruz
Data:29/05/2008
Turma:B101 N:24


SÓCIO AMBIENTAIS URBANOS

É muito bom saber de onde vem a poluição porque assim podemos tentar evitar,mais para podemos evitar,teriamos que ter força de vontade,e planeijamento público,e a distribuição de renda poderia ser melhor não sópra os paises desenvolvidos e sim para os outros também ,assim poderiamos evitar graves problemas sociais e ambientais.É agora vamos entrar em outro comentário muito interessante q é sobre o lixo,esta acabando com as nossas cidades,si nós não tomarmos atitudes de juntar os lixos e esperar o lixeiro fazer a coleta daqui uns dias não vamos nem poder sair de casa de tanto lixo que terár nas ruas,e se acaso a prefeitura não tratar dos lixos e só juntar os próprios moradores da cidade e fazer uma reclamação na prefeitura para que o lixeiro passe duas vezes na semana ou três,mesmo que tenha que aumentar os impostos que vai valer apena,e mesmo porque quem não gostaria de ver a sua cidade limpa,porque cai entre nós ninguem gostaria de viver no lixao.E vamos parar de ficar jogando lixo nos terrenos baldios e nem nos rios,para podermos ter um pais bem melhor, e para podermos evitar enchentes e deslizamentos nas encostas.A e também não pdemos nas esquecer da fata de saneamento básico,porque ele é aoutra carêcia que causa grande impacto na natureza e também é prejudicial a população que moram nos grandes centros urbanos ,e no espaço rural.e esse serviço é muito essencial,pois é dele que depende a higiene e a saúde da população.
Tudo isso tratasse de água potável a população e ao tratamento de esgotos e do lixo.E se não tiver esses serviços poderar ter muitas taxas de mortalidade infantil,inumeradaas doenças,contaminação dos rios do lénçol freático.E as principais causas da enorme quantidade de lixo produzido atualmente,é devido ao desperdicio de máteriais,os produtos descartáveis,ocrecimento econômico é o incentivo ao consumo,que chega a ser exagerado.
Hum e nossa grande preocupação é de saber o destino desse lixo produzido.
Fim!esse meu pequeno comentário e um pouquinho do que eu acho desse assunto.

Anônimo disse...

Centro Educacional 5 de Julho
Aluno: Johan Dias Ferreira
Data: 31/05/2008
Turma: B101 N:½


PROBLEMAS SÓCIO AMBIENTAIS URBANOS


Bom Professor,

Os problemas ambientais no espaço urbano são atualmente de muita importância para conscientização do homem sobre seu papel em busca de soluções para diminuir o drama diário de conviver com a degradação e a alteração dos grandes centros urbanos.
O texto apresentado apontou os principais pontos que marcão as populações urbanas. A quantidade excessiva de lixo que é acumulado nas grandes cidades do mundo, como NY, Torronto e São Paulo; a ocupação de forma desorganizada e rápida nos paises subdesenvolvidos, gerando a pupulação em áreas improprias; a poluição dos mananciais e as desigualdades sociais são tópicos que deveriam ser mais atentamente observados pelas autoridades publicas.
A quantidade de lixo produzido e sua destinação despertou minha preocupação sobretudo quanto a grave situação das capitais brasileiras que comparadas às cidades européias, não o coletão nem o destinam com deveriam. As consequencias infelizmente são drásticas o acumulo de lixos nas ruas e nos terrenos vazios causam doenças e epidemias e a parte carregada pelas águas poluem rios e represas.
A coleta seletiva e a reciclagem mesmo bem utilizadas não representam muito se compararmos a quantidade de lixo produzida nos centros urbanos. É necessario que as autoridades municipais direcionem sua atenção para essa triste realidade como a exemplo de administradores do exterior, que perderam grandes impreendimentos em prol do bem estar de seus habitantes. Enfim, não podemos esquecer que cada um de nois é papel fundamental na luta diaria para combater esses problemas.

Anônimo disse...

Centro Educacional 5 de Julho
Aluna:Renata Alexandra Nascimento silva N:34
Data:03/06/2008
Turma:B101


Problemas Sócios Ambientais Urbanos

Os problemas sócios ambientais urbanos tem crescido cada vez mais no Brasil.
O problema do lixo é preocupante, e parece q ninguém liga.Está havendo um aumento cada vez maior de enchentes, os lixos são jogados em qualquer lugar causando a poluição do ar , o que acaba afetando a nossa saúde.
A população, geralmente a de baixa renda, sofre com o perigo de enchentes, deslizamentos de encostas,contaminação do solo e das águas.
Os problemas sócios ambientais são causados principalmente pela precáriedade dos serviços públicos.
Os governates não procuram resolver esse problema; e a própria população se descuida desse problema tão grave.Estão acabando com as áreas verdes,há cada vez mais carros nas ruas poluindo ainda mais o ar, fazem esgotos a céu aberto, contaminam o solo e as águas dos rios que existem dentro das cidades.
O crescimento desordenado das cidades também causam muitos problemas,espaços inadequados estão sendo ocupados,esses espaços não tem infra-estrutura,fazem habitações pobres em áreas com pouco(ou nenhum)serviço urbano,o que acaba contribuindo com a violencia,que é um dos maiores problemas enfrentados por todos nós.
Bom,existem algumas maneiras de resolver esse problema.
No atual quadro urbano brasileiro é necessario implementar politicas públicas orientadas para tornar as cidades social e ambientalmente sustetáveis.Gerar empergos com praticas sustentáveise ampliar o nivel de consciencia ambiental da população.
A transformação do lixo organico em adubo,assim como a reciclagem de materiais inorganicos(separar,plastico,vidroe outros materiais)Etc...
Sáo coisas faceis dese fazer basta ter vontade de se resolver o problema.Para isso é necessario q todos trabalhem juntos,cada um fazendo a sua parte. Os governantes devem se procupar mais com a sua cidade,fazendo redes de esgotos,colocando caminhoes de lixo para passar em bairros mais carentes etc.
E a população também deve fazer aquilo que estiver ao seu alcance,não jogando lixo nas ruas,em valoes enfim deve limpar o seu espaço.
Bom isso foi o pouco que aprendi e espero contribuir com o que poder para resolver esse problema.

Anônimo disse...

aluna:ellen silva de souza
data:10/06/2008
turma:b101n
n:13
Os problemas sócio-ambientais

O nosso maior problema são os automóveis porque pela sua fumaça que vai deixando pela estrada esse problema ocorre mais nos paises pobres
O lixo – espaço está acabando
O que acontece é que as cidades estão contribuindo para que ocorram outros tipos de agressão aos seus moradores, além da poluição do ar, das águas e dos problemas causados pelo lixo.
A ocupação do espaço urbano impacto na natureza
De modo geral, os ecológicos são mais intensos nas grandes cidades que nas pequenas cidades ou no meio rural.
As demais, como mencionamos hoje mais da metade da população mundial vive no meio urbano e o numero de megacidades, aquelas aglomeradas urbanas com mais de 10 milhões de habitantes, cresce constantemente.
Além da poluição atmosférica, as metrópoles apresentam o melhor, concentram outros problemas graves.
As capitais estão doentes
As cidades estão se acabando porque o acumulo do lixo e do esgoto, boa parte dos detritos pode ser reciclado ou recuperado em muitas cidades.
O papel, as latas de bebidas, os vidros, as pilhas e os eletros domésticos jogados fora etc.praticamente tudo hoje pode ter uma reutilização.
Normalmente, os esgotos residências e os resíduos das indústrias são despejados diretamente nos rios, sem um tratamento prévio, isto é em algumas cidades, especialmente em paises subdesenvolvido, ainda se amontoa grande parte do lixo em terrenos baldios, o que acaba causando doenças e ate morte.
E hoje principalmente os prefeitos não pensam em melhorar as cidades para que não aumente as favelas etc.
Só pensam em fazer parques, postos de saúde, etc. em vez de fazer uma escola técnica para que o aluno se interesse e veja o que quer para o futuro.

Rodolpho disse...

CENTRO EDUCACIONAL 5 DE JULHO
ALUNO: RODOLPHO DE OLIVEIRA PEREIRA
DATA: 30/05/2005
TURMA: B101 Nº. 36

SÓCIO-AMBIENTAIS URBANOS

Essa poluição que afeta praticamente o mundo todo sem duvida nos prejudica e nos impede
De podermos ter um ar mais puro para o nosso mundo.
E isso não começo agora como o professor falo mais agora é tarde não da mais para tentarmos reverter essa situação que literalmente perdeu o controle esse mundo agora depende disso, poluição por causa dos automóveis.
Sem eles não podemos agir ou resolver nossas vidas que precisamos muito de um meio de transporte para podermos trabalhar sair e gasta (comprar).
O lixo de esse mundo oque fazer com ele? É o X da questão o quebra cabeça de muitos políticos, deputados e presidentes.
Eles não sabem oque fazer para ajudar a acabar com esse caos do pais só pensam em ganhara cada vez mais dinheiro na política e esses dinheiros vem da onde ?
Do nosso bolso povo é isso que acontece no mundo de hoje eles pegam o nosso dinheiro e gasta com num sei oque mais melhorar o pais que é bom nada isso é uma vergonha para o povo brasileiro ou de outros paises que passam pelo mesmo problema do que agente esse mundo não tem mais jeito.
O mundo pode melhorar pouco quase nada com a ajuda das pessoas os habitantes que nele vivem cada um pode fazer sua parte ajudando a melhorar o mundo não jogue lixo na rua você esta sujando o lugar aonde você vive pense bem antes de cometer esse crime contra a cidade,
E as florestas que sofrem desmatamentos é fogo que não acaba mais derrubada de arvores e florestas acabando com o mundo com a mata aonde é o nosso melhor ambiente é não agora com essas queimadas num tem mais para onde correr, mais podemos preserva a natureza não toque fogo na mata, não derrube arvores, não mata os animais.
Isso me emociona muito saber que o mundo está perdido e pedindo ajudar e ninguém estende a mão para ajudar que não custa.
É isso ai me choca em saber que o mundo não tem sucego nem paz para vivermos tranqüilos.
PROFESSOR É ISSO AE BLZ?
AJUDE A NATUREZA E O MUNDO...

Anônimo disse...

CENTRO EDUCACIONAL 5 DE JULHO
ALUNA:ELIANE PÊGAS TAVARES
DATA:26/06/2008
TURMA: B101
N 12

Os problemas sócio-ambientais urbanos são consequências dos fatores econômicos ligados ao poder aquisitivo da população.
As grandes cidades sofrem com o desenvolvimento urbano desordenado acarrelando problemas,tais com:excesso de produção de lixo,ocupação de espaço urbano,falta de infra estrutura,pavimentação e outros.
Atualmente,o maior problema é o transporte rodoviário que lança na atmosféra cerca de 73% dos seus resíduos,10% as industrias e 17% das fontes poluidoras diversas,ocasionando assim grande risco para nossa população.
Principais fatores que habitam nas grandes cidades e que tem suas raízes na degradação e alteração do meio ambiente são: o lixo é um dos grandes causador de problemas ambientais.As soluções seriam prolongar a vida útil deos aterros sanitários das cidades,criar um projeto de coleta seletiva de lixo e conscientizar a população de não jogar lixo no chão;
ocupação do espaço urbano: tal problema teria como solução o planejamento urbano fornecendo a população serviço de infra estrutura básica e evitando ocupação de mangues,encostas,morros...,o que acarretaria agressões maiores ao meio ambiente.

as capitais estão doentes:com o desenvolvimento dos grandes centros urbanos,o trânsito ficou caótico.Um desafio para os governantes que precisam tratar este problema com rigor e firmeza.
cidadania e universsalidade.
A cidadania foi criada na Europa Ocidental,a partir do século XVIII.O conceito de cidadania estabeleceu a igualdade universal como modo de contrabalançar e acabar com os privilégios que se caracterizam diferenciações e hierarquias locais
São individuos no pleno gozo de seus direitos políticos e civis que permitem a formação da autoridade pública pela representação consentida e livre de seus interesses.Existe várias categoria sociais como família,igreja,comunidade,associação e outras.E todos são iguais perante a lei e a sociedade.
O desafio populacional:
O desafio das grandes potências é controlar o crescimento populacional em virtude das diferentes classes sociais que es~tão se imigrando para outros países visando uma melhoria de vida.

FIM

Anônimo disse...

Centro Educacional 5 de Julho
Aluna: Thaylana Tavares Diogo
Data:29/06/2008
Turma:B101 N°:40

Professor,
Os problemas sócio ambientais na maioria dos casos são interdependente , a poluição industrial era a maior responsável pela poluição do ar, hoje em dia o responsáveis são os transportes .
Alguns contrastes ambientais são gerados pela distribuição de renda, os paises ricos não estão fora desses problemas não só não estão tão vulneráveis como os paises mais pobres.
O lixo também e um grande problema em muitas cidades do mundo já não tem onde colocar todo o lixo produzido em sua própria cidade.Em Nova Iorque se produz tanto lixo que o pais tem que pagar 15 bilhões de dólar por ano para as cidades vizinhas ajudarem a sumir com o seu lixo .Nossa e muito lixo em.!
E ainda tem as favelas ,que crescem desordenadamente , e essa população vive de forma terrível sem saneamento básico e lugares de grande perigo , por causa da falta de saneamento eleva as taxas de mortalidade infantil.
O nosso planeta ta ficando muito doente , muitas cidades brasileiras estão super lotadas e muito ruim pra se viver .As capitais brasileiras estão entre as mais caóticas do mundo, as pessoas estão vivendo amontoadas sem qualidade nenhuma de vida.
Mais também não esquecendo da violência nas grandes e pequenas cidades , que cresce também a cada dia .
Nossos prefeitos,presidentes,governadores e nos mesmo temos que fazer algo para salvar o nosso planeta .
E só cada um fazer a sua parte .

Bom e isso o que eu entendii professor..

:)

Anônimo disse...

Centro Educacional 5 De Julho
Aluno:Michael predes da silva
Data:29/06/2008
Turma:B101N N:27


SÓCIO AMBIENTAL URBANO

Bom, poderíamos começar a falar de inúmeras soluções para os problemas sócios ambientais, uma vez que não fazemos a nossa parte.
Ajudar na reciclagem do lixo pode ser uma pequena demonstração de preocupação com o meio ambiente.
Manter nossa cidade limpa, evitar jogar e impedir que joguem lixo, nas ruas, rios e córregos também pode ser uma boa iniciativa para o começo de uma vida melhor.
Ao ver a cidade mais limpa, menos pichações aparecerão, logo ate a imagem da cidade melhorará em relação às outras pessoas.
Outra forma de ajudar a diminuição de poluição do ar,seria o barateamento e qualidade boa de conversão de veículos pra gás natural, visto que eles são um dos maiores poluentes de meio ambiente.
Outro dado importante é o saneamento de comunidades carentes, onde há uma população mal informada com relação à coleta de lixo.
Um projeto de conscientização da população seja feito para com o grande efeito estufa que é causado devido ao lixo jogado em lugares não apropriados, aumentará assim a preocupação da parte das pessoas com o meio ambiente aumentará também.
Uma vez que todos conscientes que apenas uma latinha jogada no mar pode causar um enorme desequilíbrio ecológico, as pessoas viverão melhor, terão melhor qualidade de vida, visto q cada R$ 1,00 (um real) gasto em saneamento, equivale a R$ 5,00 (cinco reais) economizado em saúde.

Anônimo disse...

CENTRO EDUCACIONAL 5 DE JULHO
ALUNO: Erick Cabral do nascimento Cardozo
DATA: 30 / 06 / 08
TURMA: B101n
N°: 16


Problemas Sócios Ambientais Urbanos



Os Problemas Sócios Ambientais Urbanos tem crescido muito em todo mundo.
E um dos principais problemas é o lixo, porque está acabando o espaço para se deposita o lixo, por exemplo, em Nova York.Praticamente não tem lugar para se depositar o lixo tanto assim que o governo Americano paga para as cidade vizinhas, em torno de 15 bilhões de reais por ano um desperdício porque esse dinheiro podia ser implantado em equipamento para a reciclagem que seria o ideal para ser feito com esse lixo todo.
E no Brasil a situação esta ainda pior porque são 30% dos lixos produzido por nos estão nas ruas e em terrenos baldios e isso é muito errado porque quando chove causa enchentes muito graves de deixa centenas de desabrigado e também pode trazer varias doença e a perda de seus bens .
Outro grande problema e os automóveis que é responsável pelos 73% de dióxico de carbono jogado na atmosfera. E isso pode ser evita como as pessoas deixarem os sem carros em casa e começarem a andar de transporte coletivo como ônibus, trens, metros etc.
Esse problema e fácil de ser resolve e só nóis se tocamos e não jogar lixo no chão, nos rios, mares etc. E vamos deixa um mundo melhor para nosso filhos.

Anônimo disse...

CENTRO EDUCACIONAL 5 DE JULHO
ALUNA: Suyane de Freitas
DATA 30 /06 /08
TURMA: B101n







Sócio ambiental urbano


A situação do lixo nas grandes capitais esta cada vez pior ,por exemplo em Nova York, Toronto, São Paulo, Rio de Janeiro e Salvador praticamente não tem mais lugar de se colocar lixo e isso e muito ruim para a população do local e também das cidades vizinhas por exemplo os o governo de Nova York não tem lugar para colocar ele vendem lixo para as cidade vizinha pagando cerca de 15 bilhões de reais ao eiveis de comprar equipamentos de reciclagem um verdadeiro absurdo .
Você ainda não viu nada e no Brasil as pessoas estão patinado no lixo estudos comprova que cerca de 30 % dos lixo residencial não são coletado e ficam na rua causando varias estragos para saúde do morador causando as enchente causando doença isso não e certo.Essa população alem de mora num lugar ruim ainda sofre da falta de servisos básicos como esgoto, água tratada, e a coleta de lixo etc. e acaba sendo vitima de acidente não raro como enchentes e dos deslizamentos de encostas A Falta de saneamento básico é outra carência que causa grande impacto na natureza e também é prejudicial a população que moram nos grandes centros urbanos .
Nóis temos varias maneira de tratar o lixo queimando mais não e certo, enterra também não e certo botar em lixão mais não e certo , o ideal seria de reciclar.e ainda dar tempo de nóis resolver esse problemas só falta querer

michael disse...

Centro Educacional 5 de Julho
Aluno: michael predes da silva
Data: 30/06/2008
Turma: B101N N:27

"Os Problemas Sócio-Ambientais Urbanos"

pois é, O padrão de urbanização brasileiro imprimiu às metrópoles pelo menos duas fortes características associadas ao modo predominante de "fazer cidade": apresentam componentes de "insustentabilidade" vinculados aos processos de expansão e transformação urbana e proporcionam baixa qualidade de vida a parcelas significativas da população. Esse padrão cria um espaço dual: de um lado, a cidade formal, que concentra os investimentos públicos e, de outro, seu contraponto absoluto, a cidade informal, que cresce exponencialmente na ilegalidade urbana, sem atributos de urbanidade, fazendo diferenças socioambientais. A transformação urbana desses espaços implica processos amplos que extrapolam as práticas correntes de regularização de parcelamentos ou urbanização de favelas.

Acabou....falô professor...

Anônimo disse...

NOME:DAIANE DOS S. PEREIRA
COLÉGIO:5 DE JULHO
TURMA:B101 Nº05

De acordo com o comuntário a poluição esta tomando conta do mundo, e nós somos o culpados disso tudo, com os automoveis, industria e não reciclando os lixos, jogão o lixo nas valas de ruas e isso causa doenças.
Mas quem vai sofre com isso mas tarde são os nossos filhos, e filhos dos nossos filhos.
Temos que evitar para que mas tarde eles não sofra com as doenças, e poluições.
Temos que colocar a mão na conciência e ver que nós dependemos um do outro para melhorar o universo dessa maldição.

Yado Correa lopes disse...

Centro Educacional 5 De Julho
Aluno:YAGO CORRÊA LOPES
Data:30/06/08
Turma:B101 Noite
Número:44


Problemas Sócios Ambientais Urbanos


Na o opinião quen trás a poluição para o mundo todo são nóis mesmso series humanos.
A poluiçaõ no mundo nois dias de hoje ta aumento cada fez mais e cada fez mais ta ficando sem lugar de jogar lixo no rio de janeiro por isso a criminalidade ta aumento cada dia mais e mais e as favelas ficando cada dia maiores e por isso gerando muitas mortes.
As linhas de ônibos são desorganizada por isso muitas pessoas e prejudicada por isso muitas pessoas perden emprego por tem que andar 2 á três horas á pé para pegar uma conidção obrigando muitas das vezes elas ino para favela para fica mais perto do ponto de ônibos .
Eu acho que o presidente do Brasil tinha que tomar uma atitudi em questão disso porque se deixar nas mãos dos prefeito das cidades e governador e mesma coisa que nadao presodente tem que tomar uam atitude .
E e o povo brasileiro valoriza mais a cidade e o país que nois temos se não o Brasil nunca vai para frente Vlw Fui Ta Ai Marcio O Comentario ..!! =)

Daiane disse...

Centro Educacional 5 de Julho
Aluna: ANA PAULA DA SILVA
N°01 turma:B101
Data:01/06/2008

OS PROBLRNAS URBANOS

As atividades industriais e os automóveis são os maiores vilão dessa história.Mas nós somos o culpado disso tudo, não temos limite com as coisa, podemos muito bem sair de bicicleta ou a pé mas as pessoas preferem os carros.
MUDANDO DE ASSUNTO
Mas como está escrito no cometário o lixo esta tonado conta do universo.
O lixo ele esta fazendo o planeta ficar mais quente, por isso temos queda e almento de temperatura temos que evitar jogar lixo nas ruas, valas e terreno baudio e muitos outros ligares.

Anônimo disse...

CENTRO EDUCACIONAL CINCO DE JULHO
ALUNA:RAYANE KELLY LOPES DE SOUZA
DATA:01/07/08
TURMA:101 B N:32

Os problemas sócio-ambientais urbanos são, na maioria, interdependentes e, de forma geral, surgem quase sempre em decorrência dos fatores econômicos que refletem diretamente no poder aquisitivo da população
Durante décadas, a poluição industrial foi a maior responsável pela má qualidade do ar nas grandes cidades. Hoje, os piores vilões são as linhas de transportes rodoviários, principalmente os automóveis. Cerca de 73% de toda poluição atmosférica urbana são causadas por eles; 10% vem das indústrias e 17% de fontes poluidoras diversas.
Os problemas ambientais no espaço urbano ocorrem pela falta de planejamento público e pelos contrastes sociais gerados pela má distribuição de renda, especialmente nos países subdesenvolvidos
Os países desenvolvidos (ricos ou centrais) não estão excluídos desses problemas, mas, tem intensidade muito menor, quando são comparados aos países pobres (subdesenvolvidos ou periféricos).
Entre os principais dramas vividos pela populações que habitam as grandes cidades e que tem raízes na degradação e alteração do meio ambiente é válido citar:

O Lixo

As pessoas compraram mais e substituíram artigos a granel por itens embalados: cresceu 25% a produção per capita.
No Brasil, não é exagero dizer que as pessoas estão patinando em lixo. Quase 30% dos detritos produzidos nas residências não são coletados – parte se acumula nas ruas e nos terrenos vazios; outra parte é levada pelas águas e acaba em rios e represas (...). A Europa enfrentou o problema a alguns anos. Os cidadãos foram chamados a produzir menos sujeira e tiveram de pagar mais impostos para que ela fosse recolhida. Por aqui ainda se empurra o lixo com a barriga. A título de exemplo, no Brasil, 30% do lixo dos domicílios não é recolhido pela prefeitura e permanece jogado na rua.
A quantidade não coletada em um ano seria suficiente para fazer uma pilha com a dimensão aproximada do pão de açúcar, no Rio de Janeiro
A Falta de saneamento básico é outra carência que causa grande impacto na natureza e também é prejudicial a população que moram nos grandes centros urbanos (e no espaço rural também, é lógico!).
É um serviço essencial, pois dele depende a higiene e saúde da população. Refere-se ao fornecimento de água tratada (potável) à população e ao tratamento de esgoto e do lixo. A falta desses serviços pode acarretar elevadas taxas de mortalidade infantil, inúmeras doenças, contaminação dos rios e do lençol freático. Os desperdícios de materiais, os produtos descartáveis, o crescimento econômico e o incentivo ao consumo, que chega a ser exagerado, são as principais causas da enorme quantidade de lixo produzido atualmente. Cada cidadão norte-americano produz, em média, 725 quilos de lixo atualmente. O destino do lixo produzido nas cidades é uma das maiores preocupações de seus governantes. A coleta seletiva e a reciclagem constituem uma saída, mas ainda são insignificantes quando comparadas ao lixo produzido, chegando a atingir 50% do total, entre os países que mais reciclam, como, por exemplo, o Japão. O texto complementar a seguir da idéia da gravidade do problema do lixo.