domingo, 9 de outubro de 2011

8º ANO - Pobreza e Desigualdade Social – Males da Humanidade.

Embora se tenham registrado alguns progressos nas condições de vida dos habitantes de alguns países a «Ásia continua a ser uma das zonas mais pobres do mundo», segundo um estudo realizado pelo Centro de Estudos do Desenvolvimento, de Islamabad (Paquistão). Os países mais pobres da Ásia são o Bangladesh, Butão, Índia, Nepal, Paquistão, Sri Lanka e ilhas Maldivas, onde mais de 50 milhões de pessoas vivem na mais absoluta pobreza. A situação poderia, contudo, modificar-se se os respectivos governos reduzissem drasticamente as despesas com armamento e com o exército.

A opinião mais difundida entre os estudiosos do desenvolvimento dos países nos anos 50 e 60, era chamada TEORIA DO “TRICKLE-DOWN”, e o que diz essa teoria? Os frutos do crescimento econômico se propagam automaticamente por todas as camadas sociais. Vão primeiro para os ricos e, então, aos pobres, a partir do momento em que os ricos se põem a gastar a renda obtida. Logo, o modo mais eficaz de reduzir a pobreza seria promover um crescimento econômico acelerado para os pobres ganharem com esses recursos verticalmente derramados do topo da pirâmide. De sorte que, crescimento econômico como conseqüência lógica, reduziria a desigualdade social e, sobretudo, a pobreza. Assim, este trinômio se acha firme e positivamente associados.

Todavia, algumas dessas conclusões geraram controvérsias e contestações. O que os críticos a essa visão refutam?

Ao longo de mais de quatro décadas de análises de dados, essa teoria, apenas descreve as tendências em média, mas não dão conta das experiências concretas de cada país. As políticas de maximização do crescimento talvez se apliquem a alguns, mas não a outros, que podem precisar de políticas explícitas destinadas a reduzir a pobreza e a desigualdade.

Sem dúvida, o crescimento econômico exerce uma influência capital sobre as taxas de pobreza, ao gerar um aumento de bens e serviços que podem assim ser distribuídos entre a população. Se todos os indivíduos são beneficiados na mesma proporção, as taxas de pobreza teriam de baixar rapidamente. Mas, em fases de crescimento econômico, não há como evitar que proporcionalmente uns recebam maior parcela, o que afeta os níveis de desigualdade e, portanto, o ritmo de redução da pobreza.
Alterações nos índices de pobreza de dado país estão condicionadas a dois fatores. O primeiro é a taxa de crescimento econômico: quanto mais elevada, maior a redução nos índices de pobreza. O segundo é o grau em que os frutos do crescimento são colhidos pelos pobres. Esses dois fatores podem tomar rumos opostos e, portanto, uma taxa positiva de crescimento pode até redundar em mais pobreza se for acompanhado por um aumento na desigualdade. O aceleramento do ritmo de redução da pobreza pode exigir um misto de políticas que agilizem o crescimento e também melhorem a distribuição da renda numa sociedade.

De Dez Pessoas na Índia, Seis Preferem Fazer Suas Necessidades ao Ar Livre
Comunidade pobre em Nova Déli. Condições sanitárias preocupam as autoridades. Foto: AP

NOVA DÉLI - O ministro do Desenvolvimento Rural da Índia, Jairam Ramesh, está promovendo uma campanha educacional com o objetivo de melhorar a saúde pública do país. A decisão foi tomada neste domingo, após a divulgação de uma pesquisa do UNICEF, da ONU, que mostrou que 58% da população indiana (seis pessoas a cada dez) não têm sanitários em casa e prefere defecar ao ar livre.

Ramesh afirmou, também no domingo, que o resultado da pesquisa é motivo de "vergonha nacional" e é uma "prova triste" sobre a falha da sociedade em não abordar o tema na educação básica e melhorar as condições sanitárias na Índia. De acordo com o ministro, a sujeira não só afeta os cidadãos e o espaço público como também ao meio ambiente, pois os rios no país viraram drenos para o esgoto. O governo indiano afirma que gasta cerca de US$ 350 milhões por ano com a construção de sanitários, mas cerca de 638 milhões de habitantes preferem fazer suas necessidades fisiológicas em lugares isolados, no campo, ou em esquinas escondidas nas cidades.

A mesma pesquisa do Unicef mostrou que em segundo lugar estão empatados a China e a Indonésia no número de pessoas que não usam sanitários.

Mais de 1 bilhão vivem na pobreza na Ásia e região do Pacífico


GENEBRA - Cerca de 1 bilhão de trabalhadores da Ásia e região do Pacífico ganham menos de US$ 2 por dia, o que demonstra que o forte crescimento dos investimentos e da produção na região não têm sido suficiente pra aumentar a força de trabalho. O informe "Atingir o trabalho decente na Ásia", elaborado pela Organização Internacional do Trabalho e divulgado nesta segunda-feira, servirá de documento de trabalho na XIV Reunião Regional Asiática da OIT. O objetivo da reunião, que começa nesta terça-feira na cidade sul-coreana de Busan, é estudar novas estratégias para criar emprego digno e produtivo e assim reduzir a pobreza na região onde as taxas de desemprego atuais superam as de cinco ou sete anos atrás.

- O desafio do emprego é enorme. Com cerca de 1,9 bilhões de mulheres e homens trabalhando, a força de trabalho asiática é gigantesca e crescerá na próxima década em pelo menos 14%, atingindo 250 milhões de pessoas a mais - disse o diretor-geral da OIT, Juan Somavía, em comunicado. O problema do desemprego é especialmente angustiante entre os jovens asiáticos, já que 41,6 milhões estão fora do mercado, o que representa 48% de todos os desempregados jovens em todo o mundo. "A brecha existente entre crescimento e criação de emprego produz - segundo Somavía - um déficit de trabalho e freia os esforços para reduzir a pobreza".

Na China e Índia, por exemplo, a produtividade no setor manufatureiro aumentou 170% e 84%, respectivamente, desde 1999. Enquanto na China os salários reais cresceram menos de 80%, no segundo, caíram 22%. O informe ressalta também outros problemas do mercado de trabalho local, como as desigualdades de gênero que persistem em muitos países da região. As trabalhadoras manufatureiras em Cingapura ganham, em média, 61% do que recebem seus colegas homens, segundo a OIT.  Na região ainda há 122,3 milhões de crianças trabalhando (64% do total mundial), um milhão de trabalhadores morrem por ano em acidentes e enfermidades relativas ao trabalho, enquanto que a participação dos sindicatos oscila entre 3% e 8% da força de trabalho em países como Bangladesh, Tailândia, Malásia e Coréia do Sul. Na Nova Zelândia, Austrália e Cingapura, entre 16% e 19%.

Durante a reunião, que se prolongará durante toda a semana, representantes de governos, empresários e trabalhadores de 40 países membros da OIT debaterão sobre esses e outros desafios trabalhistas que a região enfrenta.

Para Finalizar, assistam a estes vídeos:

 
ÁSIA
Um incrível passeio pela Ásia, onde se notam as diferenças culturais, gritantes desigualdades sociais, múltiplas crenças religiosas etc.

BBC Brasil Multimídia Desigualdade ameaça crescimento da Índia a longo prazo


(copie e cole o link no seu navegador caso aconteça algum erro no vídeo!)


Refletindo sobre o Vídeo:  
O 1º Vídeo é pra você caro/cara aluno/aluna apenas observar os países que formam a Ásia. Não é preciso refletir sobre ele.
O 2º Vídeo sim. Este Mostra as realidades muito diferentes de duas mulheres de mesmo nome na Índia. Escreva com suas palavras, como e porque num mesmo local, podemos encontrar espaços e pessoas vivendo em tamanha desigualdade.


Pensando sobre o Texto:
1) Explique com suas palavras quais são os argumentos favoráveis e contrários a teoria do  “TRICKLE-DOWN”.

2) A noticia retrata que 58% da população de Nova Déli (Índia) tem um curioso “hábito”. Cite-o e explique suas causas.

3) Justifique com suas palavras o tema da reportagem que afirma: “Mais de 1 bilhão vivem na pobreza na Ásia e região do Pacífico (...) onde o emprego é um desafio enorme”.

29 comentários:

Prof. Marcio Bezerra disse...

Olá Meus (minhas) estimados (as)Alunos (as). Este primeiro comentário é pra salientar algumas dúvidas.

Primeiro: assim q você analisar o vídeo e ler o texto, a sua resposta deverá ser deixada aqui como comentário.
Pode parecer bobo, mas é para os alunos que não conhecem o mecanismo de Blogs. A atividade em si é o comentário com suas respostas para EU avaliar.

Segundo: SEMPRE PONHA NOME, Nº, TURMA.
A identidade visual do dono do post pode ser vista aí embaixo: do google, de outras mídias ou nome mesmo.
Evite postar anônimo. Use o que a internet tem a oferecer - seu perfil de redes sociais

Terceiro: assim que você postar seu comentário não aparecerá de cara.
Ele passa por minha moderação, ou seja, só aparece pra todos lerem se eu aprovar.Portanto, tenha paciência.
Toda vez q eu estiver on line virei aqui pra ver os comentários e disponibilizá-los pra vc ver a sua nota.

Quarto e Ultimo: NÂO HAVERÀ 2ª chance.
Se você não estiver com certeza e vontade de fazer uma resposta bem elaborada e capaz, POSTE EM OUTRA HORA. Isso evitará que você tenha notas baixíssimas e te prejudique na contagem final dos pontos.

Boa sorte e que essa tarefa sirva pra ampliar seus conhecimentos e a manusear diferentes mídias.
Saudações Geográficas a Vocês

Lucas Gomes TEF8 disse...

Questão N°1:bom , eu acho que nem sempre os ricos tem que receber primeiro que os pobre pois tem bastante pobres precisando.

Questão N°2:que mostrou que 58% da população indiana (seis pessoas a cada dez) não têm sanitários em casa e prefere defecar ao ar livre,ou seja,isso é um costume e preferência.

Questão N°3:O Trabalho na Ásia e na região do pacífico é muito rígido e cansativo pois eles ganharão apenas US$ 2 por dia ou seja , eles preferem não trabalhar

João Victor TEF8 disse...

O cerscimento economico vigoroso de um lado e pobresa extrema do outro, se o país continuar a crescer no ritmo atual deverá torna uma das grandes potências economica dos proximos 10 anos, existe duas mulheres que mora num mesmo estado mais em regiões diferentes, uma mora mais para o centro e a outra mais para o interior, uma delas vive no centro da tecnologia indiana e trabalha numa das maiores empresas de tecnologia da informação da Índia onde lidera uma equipe de 60 engenheiro que atende cliente da Europa e dos Estados Unidos, essas empresas só começaram a partir dos investimentos dos clientes Europeus a empresa antes só vendia oléo de cozinha, a Lakshmi de pombai trabalha com seu marido com outras 10 mil pessoas dentro de um depósito de lixo da cidade, pombai tem 20 milhões de habitantes e considerado o coração de crescimento economico indiano, ao redor do lixão vivem 600 mil pessoas dividem espaço numa favela, quase ninguém participa do milagre economico, ela diz que comemora quando ganha seu dois doláres por dia, apesar de pouco e melhor do que ganhava no interior do país. Todos dizem que a india e um país com tudo bonito mais para outros e tudo ficção

Natália viana disse...

Natália Viana MEF8-B
video 2 :Pude perceber que a indiana que trabalha na empresa de tecnologia deve ter tido uma oportunidade melhor e já deve ter nascido em uma família com uma condição de vida boa, e a outra que trabalha no lixão não deve ter tido oportunidades de subir na vida e deve ter nascido em uma família pobre.

Questão N°1:Favoráveis, que todos em uma sociedade tenham uma renda igual, contrárias pois as pessoas pobres só tem acesso aos ricos quando estão trabalhando para eles.

Questão N°2:Pois grande parte da população faz suas necessidades fisiológicas ao ar livre, pois não tem banheiro em casa.

Questão N°3:Devido a muita pobreza no continente asiático a taxa de desemprego é muito grande mesmo com o crescimento das oportunidades de trabalho ainda não atingiu toda a população desempregada.

Natália viana disse...

Professor eu já postei o meu comentário mais esqueci de colocar turma Natália Viana de Souza turma:MEF8-B N°30

Karinne Souza disse...

Karinne de A. S. da Costa.
Turma: MEF 8B N°: 17

Video: A Índia vive um paradoxal. A economia cresceu 8% ao ano durante os ultimos 5 anos e o maior desafio é a distribuição dessa riqueza. Num lado da Índia,fala sobre a vida de uma mulher que vive no Centro da alta tecnologia.Trabalha numa empresa de tecnologia de informação onde lideram uma equipe de 60 mil engenheiros atendendo a Europa e Estados Unidos.No outro lado aparece uma mulher com o mesmo nome mais realidade diferente, mora num local menos privilegiado próximo ao depósito de lixo aonde trabalha como catadora de lixo como seu marido e mais de 10 mil pessoas. A desigualdade social mudou com o crecimento econômico.

Questão N°1:Favoráveis, o aceleramento da redução da pobreza pode exigir um misto de políticas para distribuição de renda na sociedade.Contrários, essa teoria descreve em geral e nao no país da Índia e precisa de política para reduzir a pobreza e desigualdade.
Questão N°2: Defecar ao ar livre. A maioria da população não tem sanitário em casa. Por isso fazem em lugares isolados ou em esquinas escondidas.
Questão N°3: Mesmo com o crescimento e produção nao é o suficiente para os trabalhadores que ganham muito pouco. Novas estratégias devem ser criadas para redução da pobreza, uma vez que há milhares de jovens fora do mercado de emprego.

Prof. Marcio Bezerra disse...

Aluno: Lucas Gomes - TEF8 N°:??

seu comentário sobre o video = Não foi postado!
As questões 1 e 3 precisariam de maior desenvolvimento.
Havia muito mais a dizer sobre o assunto.
Apesar de muito curta, a 2ª questão até que "convence um pouco". Porém está carece de desenvolver bem mais!!
Essa foi minha análise e ressalvas do Trabalho.
Nota: 1,0

Prof. Marcio Bezerra disse...

Aluna: Natália Viana de Souza Turma: MEF 8B
N°30

Seu comentário sobre o video = Foi um tanto curto. Poderia explorar muito mais o assunto, apesar da idéia central não estar de todo errada!!

As questões 2 e 3 apesar de muito curtas, até que convencem.
A questão 1 vc divagou bem. Esse não era bem o foco da pergunta!!
Essa foi minha análise e ressalvas do Trabalho.
Nota: 2,0



Aluna: Karinne de A. S. da Costa. Turma: MEF 8B
N°: 17


Seu comentário sobre o video = Muito bom!!
Apenas na questão 1 eu julguei que vc encurtou demais a resposta. Apesar da idéia central não estar de todo errada.
A minha análise é pelo conjunto da obra. por isso, mesmo com deslizes, não altera o todo que foi muito positivo.
Nota: 2,5

Prof. Marcio Bezerra disse...

joão Vitor TEF 8 - ESPERO SUA REPOSTAGEM com trabalho completo!

Lilian C. Mourão Tef : 8 N° : 21 disse...

Questão N°1 - A condição financeira dos pobres são exatamente poucas porém moram em Países pouco desenvolvidos. Concordo com A Teoria do TRICKLE-DOWN pois promover crescimento econômico acelerado seria um jeito mais fácil e eficaz de reduzir a pobreza mas por outro lado é um pouco ruim , pois os pobres que necessitam mais ,recebem depois dos ricos ,acho que isso deveria mudar para melhor.

Questão N°2- Que por eles serem bastante pobres fazem suas necessidades ao ar livre, pois não tem banheiro em suas casas.

Questão N°3- Por suas condições,alguns ficam desempregados pois o Continente Asiático é bastante pobre e oferecem pouco salário aos trabalhadores pois uns preferem não trabalhar.

Vídeo- Duas mulheres com o mesmo nome,mas totalmente diferentes, A mulher que trabalha em uma empresa de técnologia tem uma condição de vida boa ,já a catadora de lixo não , pois é bastante pobre e recebe pouco salário por dia , a diferença entre elas é bastante grande com isso , causou a desigualdade social.

Prof. Marcio Bezerra disse...

Lilian C. Mourão
Tef: 8 N°: 21
Seu comentário sobre o video e as questões precisavam ser melhor desenvolvidas. Existia um pouco mais a comentar!!
Nota: 2,3

Asaph Carrarine - Mef 8A - Nº 02 disse...

Sobre o video: Achei muito interessante , mostrando ao mundo que a india nao é somente dubai , tecnologica e magnifica , mostra tambem a pobreza de outras partes da india , como o lixao que foi mostrado.

Questão nº1 - Favoraveis:A economia é dividida em todas as camadas sociais , pode ser que nao igualmente , mais chega até todas as camadas sociais , só falta um melhor adminstramento da economia nacional.
Desfavoraveis:É como se voce pegasse um balde de agua e jogasse emcima de uma piramide, vai chegar com bastante agua no topo , e somente um resto escorrendo ao final , ou seja , os pobres.
O crescimento é sempre de baixo para cima, nao de cima para baixo, por isso deveria chegar primeiro aos pobres e nao para os ricos.

Questão Nº2 - As pessoas preferem fazer suas necessidades ao ar livre.A causa disso é a falta de saneamento basico , que é uma coisa que nao pode faltar.Como resultado disso sao atraidos ratos , baratas que trazem doenças e tambem a poluiçao de rios porque o esgoto nao é tratado.

Questão Nº3 - Falta profissionais qualificados e cursos para preparar mais profissionais , a maioria das pessoas nao tem nenhum tipo de estudo , nao sabem ler nem escrever.São muitas pessoas disputando por poucas ofertas de emprego, que na maioria das vezes exige especializaçao , que falta. Esse tipo de deficiencia ocorre por falta de escolas e investimento em educaçao. Educaçao gera emprego, mais emprego , mais economia , mais economia , mais investimento em educaçao, é um ciclo que nao pode parar

Ellen Caroline disse...

Ellen Caroline
Mef8b Nº:44

Analise do vídeo 2:
De um lado da Índia existe um crescimento econômico muito grande e do outro existe pobreza absoluta. A Índia pode se tornar uma das maiores potências em até 10 anos, mais junto com o desenvolvimento econômico a pobreza também vai crescer em um ritmo acelerado. É agora a hora certa para o governo tentar mudar essa situação em alguns lugares da Índia.

Questão 1: Os frutos do crescimento econômico se propagam automaticamente por todas as camadas sociais. Vão primeiro para os ricos, depois aos pobres, a partir do momento em que os ricos se opõem a gastar a renda obtida. O modo mais eficaz de reduzir a pobreza seria promover um crescimento econômico acelerado para os pobres ganharem com esses recursos verticalmente derramados do topo da piramide. Com esse crescimento econômico reduziria a desigualdade social sobretudo a pobreza.

Questão 2: A maioria da população não tem condições de comprar sanitários e acabam fazendo suas necessidades nas ruas ao ar livre.

Questão 3:Eles ganham menos de US$ 2 por dia oque demonstra que o forte crescimento dos investimentos e da população e da produção não tem sido suficiente para aumentar a força de trabalho.

Felipe Sá de souza disse...

ALUNO:FELIPE SÁ DE SOUZA Nº8 TEF8
PENSANDO SOBRE O TEXTO:

Nº1:PONTOS FAVORÁVEIS SOBRE A TEORIA DO TRICKLE-DOWN:ELA FAZ TER O CRESCIMENTO ECONÔMICO QUE EXERCE UMA GRANDE INFLUÊNCIA SOBRE O CAPITAL DO PAÍS, QUE AUTOMATICAMENTE TAMBÉM INFLUÊNCIA SOBRE AS TAXAS DE POBREZA, QUE GERA UM AUMENTO DE BENS E SERVIÇOS AJUDANDO A POPULAÇÃO,ASSIM DIMINUINDO OS ÍNDICES DE POBREZAS.
PONTOS DESFAVORÁVEIS: COM CRESCIMENTO ECONÔMICO ESTANDO ALTO O ÍNDICE DE POBREZA NÃO DIMINUE.

Nº2 :É O COSTUME DE FAZER SUAS NECESSIDADES AO AR LRIVRE OU SEJA COM TODO MUNDO VENDO.ELES FAZEM ISSO PORQUE NÃO TEM SANITÁRIOS EM CASA.

Nº3: A REPORTAGEM NÃO MENTUI O EMPREGO LÁ É ESCASSO E O LUCRO E INDIGNO AO TEMPO DE TRABALHO APENAS 2US$ POR DIA COMO O SENHOR DIZ O CLIMA LÁ É TENSO.

FALANDO SOBRE O VÍDEO

LA NA ÍNDIA PARA SER DA ALTA SOCIEDADE PRECISA TER AJUDA EXTERNA OU SEJA DE OUTROS PAÍSES PRINCIPALMENTE RICOS, Á LASTIME DE HADERABÁ TEVE ESA AJUDA E SUBIU NA VIDA VEJA SÓ ONDE ELA ESTÁ,JÁ A LÁSTIME DE MUNBAI NÃO TEVE ESSA AJUDA E VIVE NA MISÉRIA EXTREMA.

Prof. Marcio Bezerra disse...


JOÃO VICTOR - TEF 8
Seu comentário sobre o video e as questões foram excelentes!
Nada a corrigir ou retocar.
NOTA: 2,5

ASAPH CARRARINE - MEF8 A Nº02
"Só falta um melhor adminstramento da economia nacional..." NÃO, é administração.
Tirando este erro ortográfico; Seu comentário sobre as questões foram bons!
Só no vídeo que julguei que deveria desenvolver um pouco mais.
NOTA: 2,3

ELLEN CAROLINE - MEF 8B - Nº44
Seu comentário sobre o video e as questões foram bons!
Nada a corrigir.
NOTA: 2,5

FELIPE SÁ DE SOUZA - TEF 8 Nº8
Muito boa as respostas das questões.
Só achei que a análise do vídeo é que deixou um pouco a desejar. Fugiu um pouco do assunto principal.
Nota: 2,3

kroolxinha disse...

Brenda de Oliveira nº 03
Turma: MEF 8 A.


Reflexão sobre o 2º vídeo: Bom na minha opinião as pessoas dividem os espaços baseados na classe social , por isso as pessoas de famílias ricas moram nos melhores espaços, tem os melhores empregos, em fim, melhores condições, enquanto as pessoas pobres, moram nos piores espaços, trabalham e lixões e ganham salários míseros, se é que cerca de US$60 pode ser chamado de salario.

Sobre o texto:

1) Favoráveis: O aumento do crescimento econômico realmente pode diminuir a pobreza, desde que as vantagens desse crescimento sejam divididas para todas as classes sociais, ou seja, que todos possam usufruir.
Contrárias: Provavelmente os ricos não iram dividir as vantagens desse crescimento para as classes pobres, e tudo continuará do mesmo jeito.

2) A maioria da população de Nova Déli tem o hábito de defecar ao ar livre, e além desse curioso hábito deixar o ambiente com o odor insuportável, traz riscos de doenças para a população local e poluição dos rios.

3) O continente asiático tem basicamente metade da população paupérrima, que trabalham em lixões para ganhar salários míseros. Conforme dito na analise do 2º vídeo só as pessoas com melhores condições têm direito aos melhores trabalhos.

Anônimo disse...

ALUNO : MATHEUS DA SILVA COELHO DE OLIVEIRA
TURMA: MEF8B
NUMERO :25

VIDEO : JÁ PODE PERCEBE QUE A INDIANA QUE TRABALHA NA EMPRESA DE TECNOLOGIA VEM DE UMA FAMILIA FAVORECIDA QUE TEVE CONDIÇÃO DE PAGA UMA BOA ESCOLA E UM BOM CURSO PRA ELA JÁ A MENINA DO LIXÃO JA NASCEU COM UMA CONDIÇÃO RUIM DESDE DE PEQUENA NÃO TEVE CONDIÇÕES DE ESTUDA POR ISSO QUE TEVE DE TRABALHA COMO PODE COM LIXO .

QUETÃO 1: FAVORAVEL TODOS TEM UMA IGUAL CONTRARIADA PORQUE AS PESSOAS POBRES SÓ TEM CONTATO COM AS PESSOAS COM BOAS CONDIÇÕES NO TRABALHO .

QUETÃO 2 : PORQUE A GRANDE PARTE DA POPULAÇÃO FAZEM SUA NECESSIDADE FISIOLOGICA NA RUA AO AR LIVRE POIS NÃO TEM SANEAMENTO E MUITO MENOS REDE DE ESGOTO.

QUESTÃO 3 : DEVIDO A POBREZA , A TAXA DE DESSEMPREGO NO CONTINENTE ASIATICO É MUITO GRANDE ,A MAIORIA DA POPULAÇÃO ESTA DESEMPREGADA MESMO COM CRESCIMENTO DE GRANDE EMPRESAS , AINDA NÃO ATINGIU TODA A POPULAÇÃO DESEMPREGADA

Anônimo disse...

Aluna: Etiene Pinheiro – Nº: 7 - Turma:MEF8A
Vídeo: Apesar de está no mesmo local, as situações são diferentes, enquanto uma mora num barraco trabalha no lixão e ganha apenas U$$ 2 por dia, a outra mora num lugar bom e sem a mesma situação financeira. O problema da desigualdade social no funda é culpa dos políticos, que apesar de mostrar preocupação só faz crescer financeiramente o lado que lhe convém.
Texto
Nº 1: Lado bom: todos se beneficiariam igualmente, o que faria com que a taxa de pobreza abaixasse rapidamente.
Lado ruim: um lado vai acabar ganhando mais que o outro e com isso demorará mais tempo para chegar a uma igualdade social.
Nº 2: Fazer suas necessidades ao ar livre pela simples falta de sanitários. Apesar da grande poluição e o fato dos rios terem virado esgoto, o país parece não ter sanitários o suficiente, mesmo o governo indiano afirmando que gasta cerca de U$$ 350 milhões por ano em construção de sanitários 638 milhões de pessoas preferem fazer suas necessidades em campos ou em esquinas escondidas na cidade.
Nº 3: Pelo fato da deficiência de emprego ser muito grande as pessoas têm que viver com menos de U$$ 2 por dia, o que faz com que os investimentos não sejam suficientes para aumentar a força do trabalho, porém, a “O informe” tomará providências para criar empregos dignos e produtivos para abaixar a pobreza na região.

Lucas Evarista disse...

Lucas Evarista, N*19, Turma mef8a*

Bom sobre o video ele mostra q não refere-se só a tecnologia nem coisas boas, fala sobre a desigualde e divisão coisas ruims.

R,N1*Favoravel: A economia fica dividida por muitas camadas não exatamente iguais, mais só precisa de uma regencia economica nacional melhor.
Desfavoravel: Á economia começa de baxio á cima, portanto deve-se favorecer aos pobres, fato que não acontece.Sempre é favoravel aos ricos.

R,N2*:A maioria prefere faser as nescecidades ao ar livre, por falta de banheiros coisa que não pode acontecer.Com isso muitas doenças vão, devido á ratos baratas e coisas contaminadas que podem calsar doenças, e levando tbm á poluicão.

R,N3*: Bom, deverias aver mais oportunidades né, profissionais cursos que os preparem, pois são muitos concorendo e sem nem uma preparação nem estudo, muitos até analfabetos.
Agora, o motivo de isso acontecer?
#Falta de escola, ensino, apoio, educação e apoio! Tudo isso gera, profissionais que geram trabalhos, gerando trabalhas gera pessoas de mente boa, que podem ensinar e educar as crianças as novas gerações que estão por vir. Resumindo TUDO, não só lá, mais isso ocorre em todo mundo. Um ciclo, no qual, si parar... O mundo acaba! A ordem, Acaba!

Ass: RATO!

Joyce e Kamila disse...

Joyce Cabral, N°:13 ,Mef8b .

Video 2: Conta uma história de 2 mulheres com o mesmo nome :Lakshmi.
Em uma parte da índia vive a Lakshmi Surampudi que trabalha de diretora no centro de informaçao auto tecnologia indiana, que atende cliente da Europa e Estados Unidos.Há 60 anos a empresa produzia oléo de cozinha mas hoje ofereçe tecnologia de ponta para quase todo o mundo. Do Outro lado menos previlegiados da índia a lakshmi Subashe trabalha como catadora de lixo com o marido e com mais de 10 mil pessoas.A economia da India cresceu 8% ao ano a longo de 5 anos. O maior desafio do país é destribuir essa riqueza, a pobreza da india podera impedir que o país chegue ao ano de 2020 como uma verdadeira potencia e a desigualdade social foi mudando com o crescimento economico do país.

Questao n°1 : Favoráveis, a população de baixa renda será favorecida por capital oriundo de sobras das classes de alta renda, numa espécie de fomento indireto à distribuição de riquezas.

Questao n°2 : Fazer ' xixi' em ar livre. A maioria da população fazem em ruas, rios .. pois nao tem ' vaso ' em casa por falta de dinheiro na maioria das vezes.

Questao n°3 : Com muita pobreza acontecendo e com o grande crescimento da populaçao muitos trabalhadores ganham muito pouco para sustentar sua familia.

matheus disse...

Sobre o video: Achei muito interessante , mostrando ao mundo que a india nao é somente dubai , tecnologica e magnifica , mostra tambem a pobreza de outras partes da india , como o lixao que foi mostrado. A índia é muito interessante em todos os aspectos gerais na minha opinião.

Questão nº1 - Favoraveis: A economia é dividida em todas as camadas sociais , pode ser que nao igualmente , mais chega até todas as camadas sociais , só falta um melhor adminstramento da economia nacional.
Desfavoraveis: É como se você pegasse um balde de água e jogasse em cima de uma piramide , vai chegar com bastante água no topo , e somente um resto escorrendo ao final , ou seja , os pobres.
O crescimento é sempre de baixo para cima, nao de cima para baixo, por isso deveria chegar primeiro aos pobres e nao para os ricos.

Questão Nº2 – algumas pessoas preferen fazer sua coisas de necessidade em lugares que todos podem ver .A causa disso é a falta de saneamento basico .Como resultado disso eles trazem doenças e vários outros insetos e ratos e tambem a poluiçao de rios.

Questão Nº3 - Falta de recursos para preparar mais trabalhadores com isso causa a falta de emprego em varias ocasiões , a maioria das pessoas são analfabetas .Mutas das pessoas ficam lutando por vagas de empregos , que na maioria das vezes exige especializaçao. Esse tipo de deficiencia ocorre por falta de escolas e investimento em educaçao. Educaçao gera emprego, mais emprego , mais economia , mais economia , mais investimento em educaçao, é um ciclo que nao pode parar.

Anônimo disse...

Aluna:Amanda Vieira
Turma: mef8b
N°:3
video2: A economia da India cresceu 8% durante 5 anos,bom pude ver que em um lado vive uma mulher na alta tecnologia , trabalha num centro de tecnologia onde ela e milhões de engenheiros atende os Estados Unidos e do outro lado vive uma mulher mesmo sendo com o mesmo nome que vive na pobreza trabalhando com seu marido e mais de 10 mil pessoas como catadores de lixo.

Questão1: Favoráveis, Que a renda desses pobres tem feito crescer casa vez mais o crescimento econÔmico de recursos ao topo da pirÂmide.
Contrários,Que esse crescimento econÔmicodos pobres reduziria completamente a desagualdade soclal.

Questão2:Defecar ao ar livre, a grande população de Nova Béli prefere fazer suas necessidades ao ar livre, porque o governo gasta 350 milhões e ainda não tem sanitários suficientes então preferem fazer em esquinas encondidos na cidade.

Questão3:Que existe mais de 41,6 milhões de jovens e só 48% trabalham,na China os salários crescem muito,no mercado local há desigualdade de gÊnero e há um grande número de crianças trabalhando e cerca de um milhão de pessoas morrem por enfermidades do trabalho.

Anônimo disse...

Nome:Núbia Pércico
Turma :TEF8


N°1:Otima , não é justo os ricos receber primeiro que os pobre pois tem bastante pobres precisando mais que eles .

N°2:que mostrou que 58% da população indiana não vasos em casa e prefere defecar ao ar ou seja,isso é um costume de cada um.

Questão N°3:O Trabalho na Ásia e na região do pacífico é rígido e eles ganham apenas US$ 2 por dia , com esse valor eles não prefere trabalhar

juliana cristina disse...

Nome:Juliana cristina MEF8b Nª:16
Video: A Índia vive um paradoxal. A economia cresceu 8% ao ano durante os ultimos 5 anos e o maior desafio é a distribuição dessa riqueza. Num lado da Índia,fala sobre a vida de uma mulher que vive no Centro da alta tecnologia.Trabalha numa empresa de tecnologia de informação onde lideram uma equipe de 60 mil engenheiros atendendo a Europa e Estados Unidos.No outro lado aparece uma mulher com o mesmo nome mais realidade diferente, mora num local menos privilegiado próximo ao depósito de lixo aonde trabalha como catadora de lixo como seu marido e mais de 10 mil pessoas. A desigualdade social mudou com o crecimento econômico.

Questão N°1:Favoráveis, o aceleramento da redução da pobreza pode exigir um misto de políticas para distribuição de renda na sociedade.Contrários, essa teoria descreve em geral e nao no país da Índia e precisa de política para reduzir a pobreza e desigualdade.
Questão N°2: Defecar ao ar livre. A maioria da população não tem sanitário em casa. Por isso fazem em lugares isolados ou em esquinas escondidas.
Questão N°3: Mesmo com o crescimento e produção nao é o suficiente para os trabalhadores que ganham muito pouco. Novas estratégias devem ser criadas para redução da pobreza, uma vez que há milhares de jovens fora do mercado de emprego.

Prof. Marcio Bezerra disse...

BRENDA DE OLIVEIRA MEF 8A Nº3
Seu comentário sobre o video e as questões foram muito bons!
Nada a corrigir.
NOTA: 2,5

MATHEUS DA SILVA COELHO DE OLIVEIRA - MEF 8B Nº25
O Seu comentário sobre o video foi até aceitável. A questão 1 e a 3 deveriam ser melhor trabalhadas, desenvolvidas. Fica apenas essa ressalva no Trabalho.
NOTA: 2,1

ETIENE PINHEIRO – MEF 8A Nº7
Seu comentário sobre o video e as questões foram muito bons!
Nada a corrigir.
Nota: 2,5

LUCAS EVARISTO - MEF 8A Nº19
O Seu comentário sobre o video foi muito curto. Deveria ter explorado muito mais!
Os comentários sobre as questões ficaram excelentes!
Fica apenas essa ressalva no Trabalho.
NOTA: 2,2

JOYCE CABRAL - MEF 8B N°13
O Seu comentário sobre o video foi excelente!!
Porém, as questões deixaram muito a desejar. Todas elas mereciam ser melhor desenvolvidas.
Fica apenas essa ressalva no Trabalho.
NOTA: 2,0

MATHEUS DISSE...
Seu comentário sobre o video e as questões FOI UMA CÓPIA FIEL E CONTUNDENTE das respostas dadas no texto do ASAPH CARRARINE sem sequer ter o trabalho de alterar palavras.

ISSO GERA 3 TRANSGRESSÕES:
1º - É plágio
2º - As perguntas são muito claras: ELABORE um comentário - ou seja, exige-se um texto próprio, são redações na verdade, logo, é IMPOSSÍVEL, principalmente na análise do vídeo - um texto ser igual ao outro. Pois, é fruto de sua compreensão pessoal e forma de opinar tbm pessoal.
3º - Está expressamente escrito na página inicial do blog que qualquer caso em q EU JULGASSE PLÁGIO o aluno/ aluna seria penalizado.
Por isso sua NOTA: é ZERO!

AMANDA VIEIRA - MEF 8B N°3
Seu comentário sobre o video foi bom!!
Apenas na questão 1 eu julguei que vc fugiu um pouco da resposta. Como eu escrevo nas suas provas: DIVAGOOU só Um POUQUINHO!!! Apesar da idéia central não estar de todo errada.
A minha análise é pelo conjunto da obra. Por isso, mesmo com esse deslize, não altera o todo que foi muito positivo.
NOTA: 2,5

NÚBIA PÉRCICO - TEF 8
Cade o seu comentário sobre o video??? não tem igual o do LUCAS.
E sobre as questões FOI UMA CÓPIA QUASE FIEL das respostas dadas no texto do LUCAS GOMES só tiveste o trabalho de alterar (retirar ou colocar) pouquíssimas palavras.

ISSO GERA 3 TRANSGRESSÕES:
1º - É plágio
2º - As perguntas são muito claras: ELABORE um comentário - ou seja, exige-se um texto próprio, são redações na verdade, logo, é IMPOSSÍVEL, principalmente na análise do vídeo - um texto ser igual ao outro. Pois, é fruto de sua compreensão pessoal e forma de opinar tbm pessoal.
3º - Está expressamente escrito na página inicial do blog que qualquer caso em q EU JULGASSE PLÁGIO o aluno/ aluna seria penalizado.
Por isso sua NOTA: é ZERO!

JULIANA CRISTINA - MEF 8B Nº16
Seu comentário sobre o video e as questões FORAM UMA CÓPIA FIEL E CONTUNDENTE das respostas dadas no texto da KARINNE A. S. AGUIAR sem sequer ter o trabalho de alterar palavras.

ISSO GERA 3 TRANSGRESSÕES:
1º - É plágio
2º - As perguntas são muito claras: ELABORE um comentário - ou seja, exige-se um texto próprio, são redações na verdade, logo, é IMPOSSÍVEL, principalmente na análise do vídeo - um texto ser igual ao outro. Pois, é fruto de sua compreensão pessoal e forma de opinar tbm pessoal.
3º - Está expressamente escrito na página inicial do blog que qualquer caso em q EU JULGASSE PLÁGIO o aluno/ aluna seria penalizado.
por isso sua NOTA: é ZERO!

Yasmin Vieira disse...

Aluna: Yasmin de Carvalho de Vieira da Silva . N:31
turma: tef8


RESUMO: Pobreza na Ásia

Apesar dos registros na mudança de condições de vida em alguns países da Ásia, este continua a ser um dos continentes mais pobres do mundo. Cerca de 50 milhões de pessoas vivem na pobreza.
Entre os anos 50 e 60, foi desenvolvida uma teoria chamada “TRICKLE-DOWN”, na qual acreditavam que o crescimento econômico passava por todas as classes sociais, primeiro para os ricos e, então, para os pobres. Sendo assim, a melhor maneira de reduzir a pobreza seria promover um acelerado crescimento econômico para que os pobres ganhassem com esses recursos e em conseqüência disso, reduziria a desigualdade social e a pobreza.
Essa teoria não agradou a todos e durante anos, apenas descreveu as tendências em média, mas sem nenhuma experiência concreta de cada país.
O crescimento econômico influência sim no capital sobre as taxas de pobreza, ao gerar um aumento de bens e serviços que podem assim ser distribuídos entre a população. Se todos são beneficiados na mesma proporção, as taxas de pobreza teriam de baixar rapidamente. Contudo, no crescimento econômico, tem uns que irão receber uma parcela maior que a do outro e isso afeta os níveis de desigualdade, como também, o ritmo de redução da pobreza.
Dois fatores ficam em evidência quando se trata de alterações nos índices de pobreza: A taxa de crescimento econômico e o grau em que os frutos deste crescimento são colhidos pelos pobres.
O índice de pobreza é tão grande que a cada 10 pessoas na Índia, 6 preferem fazer suas necessidades ao ar livre. Segundo o UNICEF, cerca de 58% da população indiana não têm sanitários em casa. Problema que não afeta apenas esse país, China e Indonésia vêm logo em segundo lugar no rank. O ministro do Desenvolvimento Rural da Índia acredita que promovendo uma campanha educacional ajudará a melhorar a saúde pública do país.
Mesmo com o forte crescimento dos investimentos e da produção na Ásia e região do Pacífico, estes não conseguiram aumentar a sua força de trabalho. Cerca de 1 bilhão dos trabalhadores ganham menos de US$ 2 por dia e, o desemprego entre os jovens asiáticos é muito grande, já que 41,6 milhões estão fora do mercado, o que representa 48% de todos os desempregados jovens em todo o mundo.
Além disso, há as desigualdades de gênero que persistem em muitos países da região, onde a mulher acaba ganhando menos que o homem que exerce a mesma profissão e ainda existe uma grande quantidade de crianças trabalhando indevidamente.


QUESTÕES

1) Explique com suas palavras quais são os argumentos favoráveis e contrários a teoria do “TRICKLE-DOWN”.

O ponto positivo seria que esta teoria tem a intenção de reduzir a pobreza e a desigualdade. Porém, mesmo com um crescimento econômico a desigualdade ainda iria existir e talvez a teoria não funcionasse, na prática, em alguns países.

2) A noticia retrata que 58% da população de Nova Déli (Índia) tem um curioso “hábito”. Cite-o e explique suas causas.

Cerca de 58% da população indiana não têm sanitários em casa e fazem suas necessidades ao ar livre. A melhor explicação seria a pobreza. As pessoas dessa região vivem em más condições, em “barracos”, sem estrutura nenhuma e nem ajuda do governo, que ao invés de promover uma campanha educacional para quem não tem condição nenhuma, deveria estar se movimentando para providenciar moradias e desenvolvendo programas de infra-estrutura nas regiões mais carentes.

3) Justifique com suas palavras o tema da reportagem que afirma: “Mais de 1 bilhão vivem na pobreza na Ásia e região do Pacífico (...) onde o emprego é um desafio enorme”.

Essa região é muito populosa, o que pode ser um desafio na busca de um emprego. Mas aí está uma região com alguns dos países mais pobres do mundo, com muita desigualdade e preconceito. Isso demonstra que apesar de existir algum crescimento, este não está sendo suficiente para a criação de empregos e muito menos para a redução da pobreza.

Anônimo disse...

Jonathan Siqueira de Souza
TEF8 / Nº 14


Refletindo sobre o vídeo: achei o vídeo bom, pois mostra uma realidade que muitos não conhecem! Apesar de 2 mulheres viverem no mesmo local na India, a desigualdade social é clara. Uma tem privilégios morando de um lado nobre da cidade com alta tecnologia enquanto que a outra mora na parte desigual com total pobreza e é considerada pela sociedade como uma pessoa inferior e até mesmo sendo excluída do convívio social. Duas pessoas morando tão próximas mas com vidas diferentes e isso mostra como é grande essa desigualdade.

Pensando sobre o texto: Questão1- Os argumentos favoráveis seriam de aumentar os avanços para melhorar o bem estar entre as populações mais pobres com melhores empregos e salários maiores. Acredito que seria um salto enorme para diminuir a desigualdade social e a pobreza. Os argumentos contraditórios seriam, quando se fala em crescimento econômico lá, há também um aumento da pobreza e a desigualdade é feita de forma absurda, onde se fala de indivíduos que são beneficiados na mesma proporção, então as taxas deveriam abaixar, mas na verdade não é isso que ocorre.

Questão 2: A notícia fala que 58% da população indiana não tem sanitários em casa e prefere defecar ao ar livre e isso porque a população tem vergonha de usar os sanitários, por uma questão de cultura daquele povo e isso vem de berço, pois se eles nunca tiveram campanhas educativas para falar sobre o assunto e ensinar o correto fica complicado pra eles que cresceram com um comportamento que foi passado pelos seus pais. Só agora o governo fala em campanhas, espero que isso realmente de certo.

Questão 3: É muito triste a realidade desta população e na minha opinião acredito que seja muito difícil encontrar uma solução rápida para este problema, pois quando se fala em desigualdade muitos não querem nem saber. Eu acho que o governo e as autoridades deveriam fazer um trabalho coletivo com toda a população e todos juntos de repente achariam a melhor solução para tentar diminuir tanta pobreza. Conseguir um emprego lá é questão de ter estudos e sorte, com o crescimento acelerado a pobreza pode ficar ainda maior, porque as pessoas que já tem uma situação boa vai melhorar mais e o coitado do pobre cada vez mais ficar sem nada. O texto fala também dos poucos empregos que tem e com equipamentos de serviço sem segurança que levou a morte de várias pessoas no trabalho. Eles vivem de forma desumana e com a baixa renda que possuem fica impossível ter uma moradia adequada.

Prof. Marcio Bezerra disse...

YASMIM DE CARVALHO VIEIRA DA SILVA - TEF 8 Nº31
Cade o seu comentário sobre o vídeo?
Por que resumir o texto do POST?
Sinceramente, eu não entendi!?
Os comentários sobre as questões ficaram muito bons!
Só faltou o principal que é o vídeo!
Fica esssa ressalva no Trabalho.
NOTA: 1,5

JONATHAN SIQUEIRA DE SOUZA
TEF 8 / Nº 14
Seu comentário sobre o video e sobre as questões foram excelentes!!
Nada a corrigir ou retocar.
NOTA: 2,5

Prof. Marcio Bezerra disse...

FINALIZADO E ARRUMANDO O PAINEL DE NOTAS DO BLOG - PARA 7º ANO - MEF 8A, MEF 8B E TEF 8:

QUADRO GERAL DE NOTAS PARA O 4º BIM DE 2011:

LUCAS GOMES - TEF8 N°:?
NOTA: 1,0

NATALIA VIANA DE SOUZA - MEF 8B N°30
NOTA: 2,0

KARINNE A. S. DA COSTA - MEF 8B N°17
NOTA: 2,5

LILIAN C. MOURÃO - TEF 8 N°21
NOTA: 2,3

JOÃO VICTOR - TEF 8 Nº?
NOTA: 2,5

ASAPH CARRARINE - MEF 8A Nº2
NOTA: 2,3

ELLEN CAROLINE - MEF 8B Nº44
NOTA: 2,5

FELIPE SÁ DE SOUZA - TEF 8 Nº8
NOTA: 2,3

BRENDA DE OLIVEIRA MEF 8A Nº3
NOTA: 2,5

MATHEUS DA SILVA COELHO DE OLIVEIRA - MEF 8B Nº25
NOTA: 2,1

ETIENE PINHEIRO – MEF 8A Nº7
Nota: 2,5

LUCAS EVARISTO - MEF 8A Nº19
NOTA: 2,2

JOYCE CABRAL - MEF 8B N°13
NOTA: 2,0

MATHEUS DISSE...
NOTA: ZERO

AMANDA VIEIRA - MEF 8B N°3
NOTA: 2,5

NÚBIA PÉRCICO - TEF 8
NOTA: ZERO

JULIANA CRISTINA - MEF 8B Nº16
NOTA: ZERO

YASMIM DE CARVALHO VIEIRA DA SILVA - TEF 8 Nº31
NOTA: 1,5

JONATHAN SIQUEIRA DE SOUZA - TEF 8 Nº 14
NOTA: 2,5