quinta-feira, 8 de maio de 2008

A Alma da Fome é Política - por Herbet de Souza


A fome é exclusão. Da terra, da renda, do salário, da educação, da economia, da vida e da cidadania. Quando uma pessoa chega a não ter o que comer, é porque tudo o mais já lhe foi negado. É uma forma de cerceamento moderno ou de exílio. A morte em vida. E exílio da Terra. A alma da fome é política.

A história do Brasil pode ser vista de vários modos e sob muitos ângulos, mas para a maioria ela é a história da indústria da fome e da miséria. Um modo perverso de dividir o mundo em dois, produzindo um gigantesco apartheid. Nesse campo, fizemos alguns milagres de desenvolvimento. Um dos maiores PIB do mundo, junto com a pobreza e a miséria mais espantosa. Aqui não houve lugar para o acaso. Tudo foi produzido como obra calculada. Fria.

O resultado está aí diante dos olhos de todos. Uma parte ostensiva, rica, branca, educada, motorizada, dolarizada. Outra parte imensa na sombra, negra, analfabeta, dando duros todos os dias, comendo o pão que o diabo amassou em cruzeiros, reais. Dois povos no mesmo país, na mesma cidade, muito próximos em geografia e infinitamente distantes como experiência de humanidade.

É gente que começa o dia sem o que comer e chega à noite sem nada. Pode-se imaginar o quadro que é o de todo dia para milhões de seres humanos: a fome de comida e de tudo. A essa altura da vida da humanidade é incrível que isso aconteça. Como morrer de fome ao lado de 70 milhões de toneladas de grãos, de 8,5 milhões de hectares de terra, se todos esses brasileiros miseráveis ficariam saciados só com os 20% do desperdício?

Por isso o ato de solidariedade, por menor que seja, é tão importante. É um primeiro movimento no sentido oposto a tudo que se produziu até agora. Uma mudança de paradigma, de norte, de eixo, o começo de algo totalmente diferente. Como um olhar novo que mostra todas as relações, teorias, propostas, valores e práticas, restabelecendo as bases de uma reconstrução radical de toda a sociedade. Se a exclusão produziu a miséria, a união destruirá a produção da miséria, produzirá a cidadania plena, geral e irrestrita. Democrática.

Se a indiferença construiu esse apartheid monstruoso, a solidariedade vai destruir suas bases. E essa energia existe com uma força surpreendente entre nós, uma força capaz de contagiar quem menos espera e de mostrar uma nova cultura, a do reencontro.

Há uma tremenda força de mudança no ar, na terra. Há um movimento poderoso, tecendo a novidade através de milhares de gestos de encontro. Há fome de humanidade entre nós, por sorte ou por virtude de um povo que ainda é capaz de sentir, de mudar e de impedir que se consume o desastre, o suicídio social de um país chamado Brasil.

(SOUZA, Herbert de & RODRIGUES, C. Ética e cidadania. SP: Moderna, 1995)

24 comentários:

Anônimo disse...

Essa reflexão de Hebert de Souza, foi muito bem coloca, cada detalhe; na minha opnião soube expressar tudo aquilo q realmente acontece no nosso Brasil.
Acho que o Brasil atual vive nessa desigualdade social grande, são milhares de famílias sem ter oque comer dentro de casa.
Que muitas por sua vez correm atrás, de trabalho para dá oq
comer
à sua família, mais a política por sua vez fecha as portas na cara, de um trabalhador q só quer uma oportunidade para conseguir sustentar sua família dignamente.
Acho que nosso Brasil tem condições suficientes para dar oq comer para essas famílias, se o povo q tem condições financeiras e outros q tem condições de arrumar uma mão de obra, desse opurtunidade para essa gente, a fome de muitas famílias iriam acabar.
Ser nós brasileiros juntássemos nossas forças, íamos conseguir acabar um pouco com essa misséria, ñ podemos esperar o governo agir, logicamente q a maioria, eles q tinham q fazer, como a opurtunidade de emprego ou seja, de vida. Oportunidade de construir uma vida como tds, ñ é pedir muito só querem poder viver em condições dignas, com filhos na escola podendo estudar tendo uma educação boa.
Depois ñ queremos ouvir falar do nosso país sobre essa misséria mais se cada um fizer um pouco o problema iria diminuir.

Elma regina,nº07,turmar: B301

GABRIELLA LANES ALVES Nº14 3º ANO NOITE disse...

Um País tão grande e com uma diversidade cultural, digamos, surpreendente, magnífica. Esse é nosso país. Mas, ao que tudo indica, os brasileiros não se deram conta de toda essa maravilha.
Então ficamos assim: Brancos e ricos de um lado, e negros e pobres de outro.Todos vivendo juntos e, ao mesmot empo, separados por uma imensa barreira.
Enquanto a "elite" compra uma bolsa de R$ 20.000,00, a "ralé" vive, ou melhor, sobrevive, dos restos que recolhem no lixo.
Os grandes foram colocados em pedestais e praicamente venerados pelo tamanho de sua conta bancária, já o restante, foi humilhado e marginalizado.
Não porei a culpa no governo, pois um país não é feito apenas de governantes, mas também de cidadãos (nem tão cidadãos assim).
Os brasileiros precisam se conscientizar, ou melhor, refletir sobre a situação "deprimente" do país.
Com cada um fazendo sua parte, a coisa vai melhorar!
Mas é importante dizer que "fazer sua parte" não significa dar esmolas. Não é disso que o povo precisa, mas sim de dignidade, tanto para os ricos quanto para os pobres.
Um dia, a gente chega lá.

Bianca disse...

JOSEFINA DOMICIANO VITÓRIO N18 3 ANO DE ADM

Herbet de Souza fez uma ótima colocação: "A união destruirá a produção da miséria, produzirá a cidadania plena, geral e irrestrita. Democrática." Palavras bonitas, não para os políticos, sim, porque só eles que estão no poder para fazer alguma coisa para modificar esta situação, mas eles só visam seus próprios interesses, solidariedade não existe no vocabulário deles.
"Nós", quero dizer, o povo, também tem sua parcela de culpa na hora de votar, temos que pensar bem no político certo. Mas será que existe político certo?
Esta pergunta fica no ar, mesmo que exista, se conseguir entrar, não fica, se ficar, muda.
Esta é uma realidade do nosso Brasil.

fernando disse...

FERNANDO BORGES GARCIA DE SOUZA, Nº10, 3º ano noite

esse texto na minha opniao revela bem a cara do pais, é um texto critico qui nao esta mentindo, quando uma pessoa nao tem o que comer, o que lhe falta na vida para nao ter nada??? e a tanta pessoas jogando comido no lixo, umas com tanto dinheiro outras sem nada,isso e a personalidade de nosso pais, os gorvenantes tem qui tomar um atitude, nao ficar prometendo, mais sim dando estudo, saude, saneamento básico, porque eles prometem e quando ganham so pensam neles, em roubar e cada vez ficar mais ricos. nao adianta dizer qui e so ter força de vontade qui consegue porque e mentira, imagina uma pessoa sem ter o que comer, ela vai querer estuda ou procura um emprego, mesmo qui seja no lixao ela quer comer dar de come para seus filhos
o hebert sse expressou muito bem em suas palavras o brasil tem qui dividir as coisas porque esta muito mal dividido uns com cada vez mais e outros com cada vez menos abçs marcioo partiuu

Gabrielle disse...

A fome é exclusão. É uma afirmação com várias interpretações. Sei que existem várias diferenças, a pirâmide das classes sociais indica, mas devemos ter também como ressalva, que existem muitos, que na verdade se revoltam por não ter uma situação financeira adequada, com isso gera o não aceitar um emprego ganhando pouco, para crescer profissionalmente aos poucos, com isso gera a falta de oportunidades, gera a família passando fome, entra para o crime, gerando várias situações que os excluem da sociedade que vive.
Foi citado também, que os negros têm espaço desprivilegiado na maioria das vezes, que na verdade isso é gerado por um preconceito vindo deles próprios, afirmamos tal citação pelos grandes negros em destaque em nosso país, que buscaram, começaram do nada e eternamente serão destaque em nossa história, independente de cor, raça ou religião.
Em minha opinião a verdadeira exclusão é aquela que não fazemos nada para nos incluir.
Na verdade o que se deve relevar é a auto estima do ser humano.

Aluna: Gabrielle de Moura Medeiros Figueira - n°15 - Turma:301 (noite)

camila disse...

CAMILA RIBEIRO Nº02 3º ano noite
Com essa palavras de HERBET faz soar em nossas mentes, como um país pode ser tão dividido em vários aspectos, como uma sociedade pode desfrutar do bom e do melhor emquanto outra parte sofre pra conseguir o que comer.
Essa desigualdade não é de hoje que cerca nossa vidas, sempre lutamos com as diferenças das classes sociais, o rico cada vez mais rico e pobre cada vez mais pobre, mas tendo em mente e pondo em pratica o esforço de seu trabalho pra conseguir uma vida melhor. Esses politicos tendo tanto dinheiro como pode deixar que outras pessoas morram de fome, num país que se tem muito o que comer?
O problema é que eles pensam neles próprios, querem só almentar o lucro deles, não se importando com os problemas dos outros, cada vez mais entarm candidatos á politica, sabem pq? pq é na política onde se consegue muito dinheiro sem nenhum esforço,e quanto mais a política cresce mais gente com fome vai ter, isso pe um fato que não queremos acreditar. Será que um dia vai entar uma politico justo, a fim de querer realmente ajudar o povo? Vamos ficar na espera!
Mas por outro lado existem pessoas boas que se importam com os mais desfavorecidos,é bom saber que em um país como o nosso tem pessoas assim, que se preocupam com o próximo e querem de verdade ajudadar essas pessoas que sofrem cada dia de suas vidas.
E é essa a realidade de um país, por um lado desenvolvido, bonito até um cartão de visitas para os turistas, e por outro lado um país com um povo pobre, doente, morrendo de fome, sem educação e muitas vezes esquecidos pelos senhores ''políticos''.
''E BRASIL ONDE VAMOS PARAR?''

Prof. Marcio Bezerra disse...

Até agora muita gente ainda não postou.

pelo menos, fico contente q esses comentários até aqui foram ótimos.

conseguiram acertar a "alma" das críticas q o nosso saudoso betinho já alertava desde a década de 1980. apesar de antigo muito atual.

excelentes postagens. bom trabalho (até aqui meninos e meninas!)

camilla disse...

Bem não e nada dificil falar sobre a fome porque e o que mais vemos hoje em dia Herbert de Souza
mostra que o Brasil tem um dos maiores PIB do mundo mais que não e bem distribuido para
quem realmente necessita que são a população que não sabe ler e nem escrever , que começam a trabalhar
jovem e que não chegam a ter nem infancia enquanto a parte rica da populão esbanja dinheiro
com coisas futeis como roupa, joias ,carros e etc... enquanto crianças e adultos morrem de fome
por não ter o que comer.
E bem dificio imaginar como um pais com tantos equitares de plantação e produção e alimentos
ainda a pessoas morrendo de fome. Onde e pra quem vai o dinheiro que deveria ser usado para
ajudar a população abaixo da linha da pobleza. Isso só nos mostra que há uma falha no nosso
governo que beneficia uns e prejudica a parte mais necessitada.

Camilla Souza Nº03 Turma:B301

thuanny disse...

Na minha opinião texto fala sobre a cara do Brasil.
A situação precisa ser enfrentada, pois uma pessoa faminta não é uma pessoa livre. Mas é preciso, em primeiro lugar, conhecer as causas que levam à fome. Muitos acham que as conhecem, mas não percebem que, quando falam delas, se limitam, muitas vezes, a repetir o que tantos já disseram e a apontar causas que não têm nada a ver com o verdadeiro problema
A fome é devida ao fato de que somos “demais”. Também não é verdade! Há países muito populosos, como a China, onde todos os habitantes têm, todo dia, pelo menos uma quantidade mínima de alimentos e países muito pouco habitados, como a Bolívia, onde os pobres de verdade padecem fome!
Desigualdades sociais: a luta contra a fome é, em primeiro lugar, luta contra a fome pela justiça social. As elites que estão no governo, controlando o acesso aos alimentos, mantêm e consolidam o próprio poder. Paradoxalmente, os que produzem alimento são os primeiros a sofrer por sua falta. Na maioria dos países, é muito mais fácil encontrar pessoas que passam fome em contextos rurais do que em contextos urbanos.
Quando um país vive numa situação de miséria, podemos dizer que, praticamente, todas essas causas estão agindo ao mesmo tempo e estão na origem da fome de seus habitantes. Algumas delas dependem da situação do país, como o regime de monocultura, os conflitos armados e as desigualdades sociais.
Elas serão eliminadas, quando e se o mesmo país conseguir um verda-deiro desenvolvimento. Mas outras causas já não dependem do próprio país em desenvolvimento, e sim da situação em nível internacional. Refiro-me às condições desiguais de troca entre as várias nações, à presença das multinacionais, ao peso da dívida externa e ao neocolonialismo. Isso quer dizer que os países em desenvolvimento, não conseguirão sozinhos vencer a miséria e a fome, a não ser que mudanças verdadeira-mente importantes aconteçam no relacionamento entre essas nações e as mais industrializadas.

thuanny lopes n°27 turma: b301

thuanny disse...

Na minha opinião texto fala sobre a cara do Brasil.
A situação precisa ser enfrentada, pois uma pessoa faminta não é uma pessoa livre. Mas é preciso, em primeiro lugar, conhecer as causas que levam à fome. Muitos acham que as conhecem, mas não percebem que, quando falam delas, se limitam, muitas vezes, a repetir o que tantos já disseram e a apontar causas que não têm nada a ver com o verdadeiro problema
A fome é devida ao fato de que somos “demais”. Também não é verdade! Há países muito populosos, como a China, onde todos os habitantes têm, todo dia, pelo menos uma quantidade mínima de alimentos e países muito pouco habitados, como a Bolívia, onde os pobres de verdade padecem fome!
Desigualdades sociais: a luta contra a fome é, em primeiro lugar, luta contra a fome pela justiça social. As elites que estão no governo, controlando o acesso aos alimentos, mantêm e consolidam o próprio poder. Paradoxalmente, os que produzem alimento são os primeiros a sofrer por sua falta. Na maioria dos países, é muito mais fácil encontrar pessoas que passam fome em contextos rurais do que em contextos urbanos.
Quando um país vive numa situação de miséria, podemos dizer que, praticamente, todas essas causas estão agindo ao mesmo tempo e estão na origem da fome de seus habitantes. Algumas delas dependem da situação do país, como o regime de monocultura, os conflitos armados e as desigualdades sociais.
Elas serão eliminadas, quando e se o mesmo país conseguir um verda-deiro desenvolvimento. Mas outras causas já não dependem do próprio país em desenvolvimento, e sim da situação em nível internacional. Refiro-me às condições desiguais de troca entre as várias nações, à presença das multinacionais, ao peso da dívida externa e ao neocolonialismo. Isso quer dizer que os países em desenvolvimento, não conseguirão sozinhos vencer a miséria e a fome, a não ser que mudanças verdadeira-mente importantes aconteçam no relacionamento entre essas nações e as mais industrializadas.
Thuanny lopes nº:27 turma: b301

barbara disse...

BÁRBARA CRISTINA SILVA RAMOS 3º ANO NOITE ENFERMAGEM
A colocação de Hebert de Souza tocou exatamente no problema do Brasil onde a suposta elite engrandesse os afiliados e o resto que se dane...
Parece que tem uma grande linha de divisão de ricos e pobres onde os ricos geralmente são brancos, com grandes diplomas na mão e com as melhores educações, e ja os pobres são negros sem educação nenhuma... o incrivel eh que eles vivem no mesmo territorio mas parece que vivem em mundos distintos...
A unica solução seria cada um fazer a sua parte independente de qual seja ela, outra solução seria derrubar de ver essa corrupção e essa ''ditadura'', pois so quem eh beneficiado são os ricos...
Conclusão naum tera um mundo melhor enquanto a maior parte ainda estiver nas mãos da ''elite'' ainda tem muita terra para plantar e pra colher naum tem necessidade de ter tanta gente passando fome comendo as migalhas e restos dos ricos...

Anônimo disse...

Certo dia liguei a TV, peguei uma coca-cola e um pedaço de empadão que tinha sobrado do almoço, sentei e comecei a assistir o fantástico. Reparei que cenas lindas do Brasil ele mostrava. Um magnífico pedaço com imagens exepcionalmente lindas.Levando isso pro Lado da realidade do país, pra que isso tudo? Pra trazer o público imagens pelas quais todos vão dizer: caraca, esse é o Brasil.Realmente, se tratando de cotidiano, a TV não nos mostra a realidade do nosso pais. EXISTE FOME, EXISTE MORTE.
Que absurdo ver hoje, no Brasil, cidades que, de um lado, temos prédios lindos, caros, com automóveis importados nas garagens e uma estrutura indiscutível, sendo que do outro lado, temos fome, miséria, falta de saneamento. Isso forma os dois lados da moeda e, por que será que, em um deles, e situação não é semelhante a do outro lado? Afinal de contas, são dois lados de UMA moeda, são dois lados de UM Brasil.
Novamente concordo com vc Márcio, voce foi feliz ao citar que: "Dois povos no mesmo país, na mesma cidade, muito próximos em geografia e infinitamente distantes como experiência de humanidade."
Colocando em evidencia a fome, geral pode largar seu notbook de lado, sua geladeira preta ( né márcio?!rs ), seu playstation 3 e outros mais, e arregaçar as manguinhas, por que, não é tempo de pensar como um, é tempo de pensar como UMA NAÇÃO.
E, sinceramente sem hipocrisia, O brasil precisa de pessoas assim.


Matheus Queiroz Nº21 T: 301noite

Anônimo disse...

"um dos maiores PIB do mundo, junto com a pobreza e a miséria mais espantosa". Po, Márcio, pensei que voce iria esquecer da parte principal?!
Realmente o Brasil é lindo em seu contexto, tem lugares lindos, desejados para moradia, perfeitos. Mas, em contradição ( e coloca contradição nisso! ), temos uma taxa de pobreza que acaba com a cara do país, toda vez que é recordada. Um mesmo país que produz uma gente rica, infelizmente, é o mesmo que 'reproduz' uma gente pobre. Isso explica por que algo tão simples como doações, solidariedade, destronam uma importancia sem igual no dia-a-dia de inúmeras pessoas.
Concluindo, O brasil ao mesmo tempo que consegue respirar com empresas de nome e porte mundiais, ainda é o mesmo em questãos de fome e necessidades sociais. Impressionante, não?

Raphael Nº23 T: B301

Anônimo disse...

o certo é o certo! a fome tem que acabar nesse país antes que ela ACABE com esse país.
dá vontade de aplaudir quando vemos essas ações beneficientes em ação, trabalhando em prol da sociedade ajudando a melhorar essa parte ( que não é pequena ) do Brasil.
é triste saber que existem pessoas que começam o dia sem nada pra comer e saem atrás de uma vida melhor e, mesmo assim, a força de vontade não apaga o constrangimento de chegar em casa pela noite e, mais uma vez, não ter nada com o que se alimentar. Foi Bem colocado dizer que uma pais que tem beleza e um PIB bom é o mesmo que tem um tamanho de deficiencia enorme na área da fome e suas vogais.
E, vemos nisso, uma aversão ao nacionalismo. Como pode um país tão unido toda vez que tem uma copa do mundo, ser o mesmo tão SEPARADO toda vez que falamos em ajudar o próximo?
Realmente, não é fácil acabar com a fome, admito isso, mas, ninguém aqui está falando em IMPOSSIBILIDADE.
Portanto, se existe esperança, se de 100% temos 1%, pelo menos temos uma chance.

Vinicius das Chagas nº 29 t: B301

Anônimo disse...

Sentir fome deve ser o cúmulo pra voce, né Marcio? estar morrendo de fome e ver a comida na sua frente e não poder comprar deve te fazer sentir 'estar pagando seus pecados'.
Agente pode brincar, mas não com um assunto sério destes, pois, é exatamente isso que muitos brasileiros sentem todos os dias, sem a possibilidade de mudar sua situação.
é dificil ver um filho dizer "estou com fome, pai" e segurar a humilhação e estar na mesma situação daquela criança sem ter o poder de mudá-la.
A fome chegou ao auge, e parece que não se contentou com tanta glória que conseguiu no Brasil e no mundo. Parece que ela quer mais.
O brasil, em toda sua totalidade ( poxa, falei difícil ), deveria se preocupar mais com a fome, pois a tendencia é piorar. Como é que pode, o país que tem uma economia boa, faz boas relações e tudo mais, passar por uma crise, que não tem mais nada de boba, como a fome?
Fico, sinceramente, admirado quando vejo equipes recolhendo alimentos não perecíveis na rua daqui de casa e em outros mais lugares.
Tratando-se do Brasil, não podemos dar bobeira, não podemos falhar.
Na minha opinião, se todo mundo chegasse junto com o mesmo propósito, a fome não estava explodindo seus índices e aumentando.

Fabrício T: B301

Anônimo disse...

Jéssica de Souza Lima./nº:17/turma:3ºano noite

A fome é uma coisa concreta, uma pessoa que tem fome se sente esquecida e só é lembrada quando interessa a política. Sem ela não existiria essa máquina de miséria que de um modo conciente ou até mesmo inconciente dividem pessoas, entre os que tem demais e os que não possuem nem o que comer. São pessoas que não veêm nenhuma espectativa de vida, e por isso, um ato de solidariedade por menos que seja é sempre tão importante para mostrar a elas que nem todos as veêm como uma sombra, e sim, como um cidadão que foi esquecido por essa máquina política que só pensa em tirar aproveito da miséria dos outros, ao invés de lutar por elas.
Por isso não devemos ficar indiferente a essa desigualdade e sim juntarmos forças para construirmos uma base forte para destruir essa produção de miséria. Se cada um de nós dor-se um pouco essa energia irá contagiar milhares de pessoas e poderemos mudar essa estatística e evitar que esse país morra socialmente.

Anônimo disse...

SARA DOS SANTOS PACIFICO DE OLIVEIRA 3º ANO NOITE ENFERMAGEM


Ele toca exatamente nos pontos de necessidade... relata a grande desigualdade social e a imensa linha de divisao que corta os pobres e os ricos...
Hoje essa desigualdade é bem visivel onde "brancos" são privilegiados de boa cultura de boa educação e assim de boa qualidade de vida e os "negros" são privilegiados de pobreza analfabetimos e assim uma qualidade de vida ruim...
Vivemos no mesmo territorio mas com desigualdade sociais imensas...
a unica solução seria acabar com a desigualdade social dando assim um basta na divisão social entre ricos e pobre brancos e negros, cada um deve fazer a sua parte...

Anônimo disse...

Este texto de Hebert de Souza explica claramente o q acontece no nosso país, a desigualdade é tão grande que nos revolta, pois são muitas famílias sem ter o que comer e vivendo em condições que não dá para acreditar, e nossa política não faz simplismente nada, "fecha os olhos".Eles estão lá roubando o nosso dinheiro e vivendo no luxo,e nós aqui trabalhando duro pra ter o q comer dentro de casa,isso quando conseguimos porque tem muitas pessoas que nem isso conseguem.
O Povo deveria se unir e colocar quem merece para nos representar, e o governo fazer o seu dever,e assim cada um fazendo a sua parte,e um dia teremos um país melhor.

Bjos prof..
Desculpa mas nao sou boa em comentarios.. rs..

JULIANA BUTKOWSKY Nº 36 T: 301B NOITE

Anônimo disse...

Problemas Sócios Ambientais Urbanos
Os problemas sócios ambientais urbanos que enfrentamos hoje na nossa sociedade atual, e resultante de falta de política de planejamento, conscientização da população e falta de investimento financeiro.
A falta de planejamento social em todos os níveis seja municipal, estadual ou federal e acarreta por falta de uma política de educação a qual bem sucedida levaria a nossas crianças de hoje a preservarem os nossos recursos naturais e a utilizarem a reciclagem, que hoje a níveis internacionais, em nosso país e preticamente zero, pois a população além da falta de conheci mento sobre o assunto não há interesse por partes das autoirdades competentes essa divulgação.
Como uma coisa "puxa" a outra, sendo assim a falta de informação leva a uma população desinformada e desestimulado a preservar o meio ambiente, ou seja, joga o lixo nas ruas e nos corregos se esquecendo que amanhã e o mesmo lixo que invade as suas casas nos dias de chuva, que é o mesmo lixo que alimentos ratos e outros tipos de animais pesonhentos que transmitirão doenças a seus filhos, que o combustível que move o seu carro polui o ar que respira. Não há uma reflexão social sobre o assunto, a sociedade não se lembra do dia de amanhã, usando os recursos naturais para satisfazer nessidades sem compromisso com as aspirações das gerações futuras. Hoje mais de 3 bilhões de pessoas enfrenta problemas de abastecimento de água; fontes de água doce estão poluídas ou simplesmente secaram, muitas pela degradação e pela ocupação desordenada de áreas de proteção ambiental.
Por outro lado não se deve culpar somente a população de classes socais menos desvaforecida, pois a falta de investimento nessa área compromete todo o ciclo de proteção, por exemplo: a falta de coleta do lixo de forma regular acarreta no lançamento do mesmo em quintais desocupados , nos rios e corregos; coisa que se resolveria simplesmente com a coleta regular. Porém a coisa e um pouco mais grave sem o investimento devido. Pois se coletar regurlamente vem uma outra questão, jogar aonde o lixo recolhido? Fazendo assim necessário que os investimentos sejam bem maiores que os utilizados nos dias de hoje; tanto na área de coleta quando na área de destinação final de lixo, no tratamento da água quanto na despoluição da que já estão contaminadas, no investimento em habitação para evitar a ocupação desordenada.
E que cada cidadão se conscentize sobre o assunto, e que tanto as autoridades, com políticas de preservação, quanto a população de forma geral em fazer a sua parte dentro de suas casas e os empresários com investimentos em preservação, reciclagem, educação; façam a sua parte, para que se possa garantir um futuro melhor as gerações vindouras.

Por: Paula Nunes da c. Santos
1° Ano - Noturno.

Anônimo disse...

JÉSSICA SILVA DE OLIVEIRA N°38 3° ANO NOITE.

Em minha opinião esse texto se trata da verdade que infelizmente ocorre em nosso país.
Nos dias de hoje a sociedade está cada vez mais dividida em classes média, alta e baixa.
A classe baixa são aquelas pessoas mais necessitadas que acórdão pela manhã sem mesmo saber o que vai comer e se vai ter o que comer, são aquelas pessoas que já se acostumaram com pouco e algumas vezes até com nada.
Já a classe média geralmente são aquelas pessoas que possuem uma vida estável.
E a classe alta aquela q está acostuma com a riqueza com tudo do bom e do melhor e acostuma com o desperdício.
No Brasil as coisas nos dias de hoje são assim uns tem muito e outros não tem nada, nós brasileiros devemos pensar um pouco mais no próximo e devemos desperdiçar menos por que muitos queriam ter o pouco que desperdiçamos.

Anônimo disse...

Um País que tem uma maravilha nas mãos mas que não sabe cultivar o que tem de melhor por ter um governo que não benficia o povo brasileiro na agricultura, educação e na saúde.O que dar a entender é que o governo que manter o povo totalmente desenformado,assim~não venha conhecer seus direitos e revindicar por eles.
Podemos ver por varias formas,esta diante dos olhos da população como ricos para uma lado e pobres de outro com uma desigualdade sem igual.
Ao meu ver as mudanças políticas descorberta no Brasil até agora foram muito poucas princilpalmente na parte da destribuição de renda e diferenças sociais que no brasil tem de sobra por uns ter de mais e outros de menos.È ASSIM ESQUECIDOS PELA ALMA POLÍTICA.


ALUNA; VANESSA BRUZELLO ABRAHÃO
N° 28 TURMA; B 301

Anônimo disse...

ALUNA: EVELYN BARBOZA DE OLIVEIRA FERRARI N° 36
3° ANO ( NOITE)
O Brasil como tudo que há no mundo tem os seus dois lados da moeda.
Um lado bonito de se ver, porém o lado da minoria.(ricos) "a coroa".
O outro a maioria, que luta todos os dias acordando as 4 da manhã para pegar a condução para o trabalho e chegando em casa no final do dia, já ao anoitecer, que no final do mês seu salário não dá nen siquer para pagar as dispesas básicas. Sem contar aqueles que nen um emprego consegue por falta de qualificação, esses vegetam contando com doações.(pobres)"a cara".
A solidariedade pode ser um começo,a princípio um prato de comida pode fazer a diferença, mas a real diferença vai ser feita quando em vez de darmos um prato de comida dermos condições para essa pessoa adquiri-lo por seus próprios méritos.
Ai sim , não só saciaremos a fome do corpo como também a de dignidade.

Anônimo disse...

Professor Eu coloquei o comentario desse texto lá no outro (Crescimento Populacional demográfico).
sem querer ...
mas eu fiz tá lá .
ta bom ??
Bjosss

meu nome é
EVELYN BARBOZA N° 36 3°ANO NOITE !!
VLW PROF !!!

Anônimo disse...

lados da moeda matheus?
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
boa colocação, tu é sinistro!
ma,s está certo mesmo, de um lado está o pobre e do outro o rico. achei interessante quando voce diz: a fome é exclusão, e é mesmo marcio. o cara que passa fome, ou melhor, a familia que passa fome é extinta da população.
Todo mundo olha com outros olhos, com pena e até mesmo preconceito.
A solidariedade nunca foi tão foda como agora. Po, ve alguém pegando alimentos te dá até vontade de ajudar, pois, imagine se voce fosse o pobre?
caramba, apoio isso de cara!
Se o Brasil hoje olhasse com mais carinho a população RICA que tem, acho que não existiria fome ( não com os índices que se vêem hoje ).

mario de matos nº39 T: 301b